YouTube

Artigos Recentes

Estudo identifica e nomeia quatro técnicas que aumentam o prazer da mulher durante a penetração

 
          Pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Indiana, EUA, conduziram o primeiro estudo de grande escala e nacionalmente representativo focado em técnicas que as mulheres adotam para aumentar o próprio prazer sexual durante a penetração vaginal. Os achados foram publicados no periódico PLOS ONE (Ref.1), resultando na identificação e nome (em inglês) para quatro distintos métodos: Angling (angulação), Pairing (pareamento), Rocking (balanço) e Shallowing (rasinho). O estudo foi liderado pela Dra. Devon J. Hensel, Professora Associada de Pesquisa na Universidade de Indiana, e pela Dra. Christiana von Hippel, cientista responsável pelo projeto OMGYES, e mais uma vez reforçam a importância do clitóris no prazer sexual da mulher (!).

(!) Leitura recomendadaO Ponto G existe?

           A visão do prazer sexual como um aspecto crítico do bem-estar da mulher e do homem é algo fundamental dentro dos Direitos Humanos. Várias organizações internacionais de saúde sexual e reprodutiva, incluindo a Associação Mundial para Saúde Sexual (WAS) e a Federação Internacional de Planejamento Familiar (IPPF), explicitamente incluem "prazer" e "satisfação" associados com experiências sexuais dentro das suas declarações sobre Direitos Sexuais. No caso das mulheres, uma importante abordagem nesse sentido é a exploração do prazer sexual a nível de indivíduo, buscando entender a subjetividade de cada pessoa sobre suas experiências sexuais vividas. No entanto, apesar do crescente interesse nesse sentido, grande parte da literatura acadêmica ainda foca em partes corporais ou objetos que estimulam ou penetram a vagina (ex.: pênis, mão/dedo, brinquedo sexual, etc.), ao invés de documentar técnicas específicas de penetração e estimulação vaginal.

          No novo estudo, os pesquisadores primeiro reuniram descobertas e novos conhecimentos de uma comunidade de 4270 mulheres ao redor do mundo, e analisaram os resultados para encontrar temas e padrões associados. A partir dos achados qualitativos dessa primeira parte, eles exploraram de forma quantitativa, transversal e nacionalmente representativa técnicas complementares ao ato de penetração visando aumentar o prazer sexual das mulheres nos EUA. Para isso, foram analisadas 3017 mulheres Norte-Americanas, com idades de 18 a 93 anos.

          Os resultados finais do estudo, descritos em maiores detalhes no paper, revelaram quatro distintos modos que as mulheres descobriram na prática para experienciar mais prazer durante a penetração vaginal: 

- Angling (a): 87,5% das mulheres reportaram experienciar maior prazer durante a penetração ao mudar o 'ângulo' do objeto penetrador, envolvendo movimentos de rotação, elevação ou de descida da pélvis/quadris durante a penetração para ajustar onde dentro da vagina o brinquedo sexual ou pênis esfregam e as sensações resultantes.

- Rocking (b): 76,4% das mulheres reportaram tornar a penetração mais prazerosa ao 'balançar' a base de um pênis ou de um brinquedo sexual no sentido de esfregá-la contra o clitóris durante a penetração, ficando todo a extensão do objeto dentro da vagina ao invés do movimento de 'entrada e de saída'.

- Shallowing (c): 83,8% das mulheres reportaram que alcançam o orgasmo mais frequentemente ou aumentam o prazer sexual ao permitir um toque penetrador mais 'raso', limitado à entrada da vagina com a ponta do dedo, brinquedo sexual, ponta do pênis, língua ou lábios.

- Pairing (d): 69,7% das mulheres reportaram que a penetração é mais prazerosa quando 'pareiam' a penetração com a estimulação do clitóris com dedos ou brinquedos sexuais, seja com a ação do parceiro/a seja através de auto-estimulação. Por exemplo, enquanto o pênis está penetrando a vagina, a mulher alcança ao mesmo tempo o seu clitóris com os dedos para estimulá-lo.

"Quando algo não possui nem mesmo um nome, se torna literalmente inexprimível," disse a Dra. von Hippel em entrevista (Ref.2). "Até o momento, não haviam palavras para modos específicos que as mulheres adotam para melhorar a própria experiência de prazer sexual. Ao dar nome a essas técnicas mais prevalentes e mostrar como elas são efetivas, nós esperamos que as mulheres irão ser empoderadas para explorar o que elas gostas e advogar pelo o que elas querem, dentro e fora da cama."


> Leitura recomendadaEjaculação feminina existe?


REFERÊNCIAS

  1. https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0249242
  2. https://www.omgyes.com/findings