YouTube

Artigos Recentes

Suicídios e Armas de Fogo



           Nos EUA, a segunda causa mais comum de morte entre pessoas de 15 a 34 anos é o suicídio. E entre todas as mortes por armas de fogo no país, 60% delas ocorrem por suicídio (Ref.1). Em uma média diária, mais de 100 pessoas morrem por suicídio no país, onde cerca de metade das mortes ocorrem com o uso de armas de fogo (Ref.14). Além disso, um estudo feito recentemente pela Universidade de Harvard mostrou que o número de suicídios aumentam com o aumento na disponibilidade de armas de fogo de região para região do país (Ref.2). Diversos outros estudos feitos ao longo dos anos também mostram uma forte relação entre o acesso facilitado e porte de armas e o aumento no número de suicídios (Ref.2-19). E amplas medidas de redução da disponibilidade e acesso de armas de fogo em alguns países foram efetivas para diminuírem o índice de suicídios (Ref.19). E isso é só para citar alguns. Não dá para ficar mais claro.

           A maioria pensa nas armas de fogo apenas em crimes de homicídio, mas essas letais ferramentas ganham um perfil ainda mais perigoso quando passamos a analisá-las sob outros pontos de vista. Um dos principais, e mais ignorado, é o enorme índice de suicídios nos EUA, e outros países, que pode ter íntima relação com a grande oferta de armas de fogo em casa. Você pode pensar que um suicida irá se matar de qualquer forma, mas as estatísticas discordam veementemente. As três principais causas para tornar as armas de fogo aliadas número um dos suicídios são:

1. Elas são um dos métodos mais mortais para se cometer tal prática, enquanto outros métodos normalmente tendem a falhar (afogamento, envenenamentos diversos, facas, etc.) ou demoram tempo suficiente para um socorro chegar. E, após a falha no suicídio, o indivíduo pode tender a desistir de se matar - ao mudar de ideia sobre colocar fim à sua vida ou ter seus maiores problemas solucionados - ou acaba recebendo mais apoio das pessoas ao seu redor;

2. Boa parte (mas não a maioria) das pessoas tendem a estar, quando decidem se suicidar, sob um impulso instantâneo de desprezo à vida, ou seja, agem pelo momento. Com uma arma de fogo à disposição, o ato fica mais fácil e rápido de ser cometido, enquanto outros métodos mais planejados e calculistas permitem que a pessoa tenha mais tempo para pensar durante sua preparação, fazendo-as desistir bem mais frequentemente no momento de execução. Isso também é ainda mais válido para os casos de homicídio;

3. Puxar o gatilho dá uma sensação de alívio instantâneo, sem sofrimento, enquanto os outros métodos podem passar uma ideia de grande tortura antes da morte. Além disso, o ato de puxar o gatilho cria uma ilusão de que um terceiro está tirando sua vida, e não você mesmo, deixando o ato mais fácil de ser executado. Este último ponto também vale para os casos de homicídio.

           Sim, a grande presença das armas de fogo no nosso ambiente domiciliar e cotidiano não tende a fazer bem para ninguém. Por trás da ilusão de proteção, existem homicídios, acidentes de manuseio, letal curiosidade infantil e suicídios. As campanhas de desarmamento não são apenas uma aposta cega no combate à violência. São tiros certeiros pela causa da paz. Armas deveriam ter o seu uso restrito para agentes da lei e segurança que possuem treinamento específico para usá-las, os quais estarão sendo vigiados pelos órgãos de fiscalização e apenas as usam em momentos específicos. Distribuir armas para todos não é, e nunca será, solução positiva para nada. A violência na sociedade precisa ser solucionada pela raiz do problema, e não aumentando a violência em todos os lados.

- Continua após o anúncio -



 ATUALIZAÇÃO (18/10/16): Na Guiana, um dos países com maiores índices de suicídio no mundo (44,2 para cada 100 mil habitantes, enquanto a média mundial é 16, segundo a OMS), a principal ferramenta de suicídio é o uso de pesticidas (65%), os quais são muito fáceis de serem conseguidos nas zonas rurais do país. Em seguida, vem o método de enforcamento, contando com 1 em cada 5 casos. Mas o mais importante vem agora: para cada suicídio bem sucedido, existem mais 25 tentativas fracassadas, segundo profissionais de saúde no país. Agora imagine se as armas de fogo fossem amplamente disseminadas pelo país, ao invés dos pesticidas. (Ref.20)

ATUALIZAÇÃO (05/02/17): Um estudo de revisão sistemática publicado em Janeiro deste ano, sobre a relação entre armas de fogo e índices de suicídio, mostrou que regiões nos EUA que adotaram leis mais duras quanto à compra de uma arma de fogo e rígida avaliação do histórico do comprador foram efetivas em diminuir a quantidade de suicídios. Em outras palavras, empecilhos para a entrega de armas de fogo para qualquer um ajudaram a frear os índices de suicídio em certas regiões do país. (Ref.21). 

Artigos Recomendados:

REFERÊNCIAS
  1. http://www.nytimes.com/2015/12/14/opinion/to-reduce-suicides-keep-the-guns-away.html?_r=0
  2. https://www.hsph.harvard.edu/magazine-features/guns-and-suicide-the-hidden-toll/
  3. http://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJM199208133270705
  4. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1485564/
  5. http://onlinelibrary.wiley.com/enhanced/doi/10.1111/sltb.12243
  6. http://ajp.psychiatryonline.org/doi/pdf/10.1176/appi.ajp.2013.13060818
  7. http://heinonline.org/HOL/Page?handle=hein.journals/bclr56&div=37&g_sent=1&collection=journals
  8. http://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMP0805923#t=article
  9. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3982295/
  10. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3982295/
  11. http://injuryprevention.bmj.com/content/21/e1/e116.short
  12. http://ajph.aphapublications.org/doi/abs/10.2105/AJPH.2013.301409
  13. http://europepmc.org/abstract/med/27176665
  14. http://www.aappublications.org/news/2016/06/27/Suicide062716?trendmd-shared=0
  15. file:///C:/Documents%20and%20Settings/aluno/Meus%20documentos/Downloads/ped150002.pdf
  16. file:///C:/Documents%20and%20Settings/aluno/Meus%20documentos/Downloads/ped150002.pdf
  17. http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0022395615300285
  18. http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/sltb.12243/full
  19. http://ajp.psychiatryonline.org/doi/abs/10.1176/appi.ajp.2016.16010069
  20. http://www.bbc.com/news/world-latin-america-37618854
  21. http://jamanetwork.com/journals/jamainternalmedicine/article-abstract/2582989
Foto de capa: Shutterstock