YouTube

Artigos Recentes

Celulite e estrias na mulher


Compartilhe o artigo:



            A questão da estética é algo que atinge pesado as mulheres, e isso é devido a uma longa e ininterrupta história de domínio patriarcal e desvalorização do sexo feminino, tratado, em grande parte, apenas como um objeto sexual e doméstico. Os rastros dessa herança histórica ainda são bem vívidos, e a maior parte das mulheres ainda se veem obrigados a tentar ter o corpo perfeito por causa de um desejo implícito de estar sempre querendo agradar sexualmente aos homens e ganhar a aprovação estética de outras mulheres. Como consequência, temos cirurgias plásticas descontroladas, programas perigosos de emagrecimento e desespero em meio à ocorrência de qualquer imperfeição na pele. Neste último caso, entram as estrias e a celulite.

- Continua após o anúncio -



      ESTRIAS

             As estrias surgem quando a tensão aplicada à pele é mais rápida  e intensa do que a sua habilidade de se expandir e criar mais tecido epitelial. Com isso, uma ferida leve aparece, a qual, primeiramente vermelha ou arroxeada, se transforma, com o tempo, em uma cicatriz branca. Apesar de ser algo estudado há um bom tempo, ainda hoje não muito se sabe sobre os mecanismos que levam à formação das estrias, e porque algumas pessoas são mais propicias a tê-las enquanto outras não. Em vários casos, elas podem até mesmo surgir em pessoas magras, que nunca passaram por um processo de estiramento da pele. De qualquer forma, entre os fatores de risco, temos (em todos a pele se estica rapidamente, dificultando os processos regenerativos, ou estão relacionados com problemas na elasticidade natural da epiderme):

1. Ganho acelerado de massa corporal;
2. Gravidez;
3. Aumento rápido de massa muscular (uso de anabolizantes ou apenas tendência genética do indivíduo em aumentar seus músculos com facilidade devido à musculação);
4. Aumento rápido de tamanho durante a puberdade (o famoso ´Estirão´);
5. Uso de corticoides;
6. Cirurgias plásticas envolvendo o aumento do volume de alguma parte do corpo, como os implantes de silicone nos seios e nádegas. Os casos mais comuns ocorrem nos seios;
7. Genética, sendo ela a principal determinante no surgimento e grau das estrias. Se você possui parentes próximos com estrias, as chances são altas de você desenvolvê-las.
8. Algumas doenças, como a síndrome de Cushing, de Marfan e de Ehlers-Danlos.



            Mais de 70% das adolescentes do sexo feminino e cerca de 40% dos adolescentes do sexo masculino acabam desenvolvendo as estrias na puberdade. Nas grávidas, o surgimento delas ocorre em 50-90% delas, dependendo dos grupos analisados (etnia, área geográfica, etc.) e do tamanho do feto se desenvolvendo no útero (o que impacta no grau de estiramento da pele na barriga da grávida). As mulheres são as mais afetadas devido à sua própria natureza corporal. Na adolescência, o estradiol (um dos hormônios sexuais femininos predominantes, responsável pelas características sexuais secundárias) estimula um acúmulo de gordura nas regiões dos seios, das coxas e das nádegas, fazendo com que ocorra um grande estiramento da pele de forma rápida. Já durante a gravidez, o estiramento da pele na barriga é ainda maior, fazendo com que as estrias apareçam em grande parte dos casos, em menor ou maior grau.

- Continua após o anúncio -



       CELULITE

               Partindo agora para a celulite, é bom começar esclarecendo uma confusão. Existem dois tipos de 'celulite': uma infecção na pele e uma relacionada apenas com a estética (não é uma doença). A mais popular e famosa é o segundo tipo, cujo nome medicinal é, na verdade, 'hidrolipodistrofia ginóide'. O primeiro tipo, no entanto, é que é a real 'celulite', sendo esta uma infecção da pele causada por bactérias, e não tendo nada a ver com a versão estética. A "celulite popular" é aquela em que a pele fica com o clássico aspecto de "casca de laranja", podendo ser caracterizada em diferentes graus (algumas ficam visíveis o tempo todo, outras apenas quando a pele é dobrada; algumas possuem relevos mais fundos, outras mais discretos).




            A celulite atinge quase todas as mulheres, podendo chegar a níveis maiores do que 90% de ocorrência nesse grupo depois da puberdade. Ela ocorre devido às diferenças de elasticidade das fibras que unem o tecido epitelial ao músculos, onde a gordura (tecido adiposo) fica no meio. Se as fibras não forem muito elásticas, um acúmulo de gordura começará a empurrar a pele para cima nos pontos pouco fibrados, causando os relevos característicos das celulites. As mulheres, por terem um perfil de pele/fibras e acúmulo de gordura (estrógenos) diferentes do que o apresentado pelos homens, possuem uma predisposição gigantesca em tê-las. Os locais mais comuns delas aparecerem são nas coxas, nádegas e abdômen. Assim como as estrias, o mecanismo por trás dessas deformações cutâneas ainda não é totalmente esclarecido, mas podemos citar outros fatores de risco para a celulite, como:

1. Idade, onde quanto mais avançada, maiores os riscos;
2. Genética;
3. Cigarro;
4. Obesidade;
5. Desidratação;
6. Estresse;
7. Sedentarismo;
8. Acúmulo de água no corpo (dietas com excesso de sódio, por exemplo)



   EXCEÇÃO OU NORMA?

            Como pudemos perceber, ambos os problemas estéticos estão intimamente relacionados com a natureza do sexo feminino. Não são doenças e não causam irritação cutânea e, sim, são subprodutos naturais no desenvolvimento da mulher. Mas por causa da mídia tendenciosa e discriminatória, e de uma cultura cuja forte herança histórica é baseada na objetificação do sexo feminino, muitas mulheres 'modelos' são manipuladas em fotos, filmes e novelas para parecem estarem com uma pele "perfeita" aos olhos de um padrão injusto de beleza. Algo similar também ocorre com os homens em relação à suposta obrigação de possuírem um pênis grande (algo que depende exclusivamente da genética), sendo que a esmagadora maioria possui um órgão sexual considerado 'pequeno' se comparado com aqueles glamourizados pela mídia, especialmente em filmes de conteúdo adulto (1).


            Vamos reforçar então: as estrias e celulite fazem parte do corpo da mulher, assim como o aumento do tecido mamário e da modelagem corporal específica e dependente de fatores hormonais. Pode ter certeza que virtualmente todas as mulheres possuem celulite e/ou estrias em algum grau. Apenas passe a se preocupar com elas caso exista real deformação anormal nas mesmas. E é esse é o próximo tópico: tratamentos das estrias e celulites.

- Continua após o anúncio -



       TRATAMENTOS

             Não existem tratamentos hoje no mercado estético que sejam substancialmente eficazes em nenhum dos problemas. As vias cirúrgicas costumam dar bons resultados, mas passam longe uma efetividade 100%, além de serem muito caras. E, mulheres, anotem: NÃO EXISTEM CREMES, SUPLEMENTOS, PÍLULAS OU ALIMENTOS QUE PROVEM SEREM REALMENTE  EFETIVOS NO TRATAMENTO DE AMBAS AS CONDIÇÕES. Cremes milagrosos, alimentos mágicos ou qualquer outra coisa do tipo só servem para arrancar dinheiro de você e causar falsas expectativas. No máximo, alguns deles poderão, em casos de exceção, dar um alívio não muito significativo, e terão diferentes taxas de sucesso dependendo do "paciente".

            Em relação às estrias, durante o seu desenvolvimento inicial, é possível aplicar injeções de ácido retinóico (tretinoína) nas manchas avermelhadas/roxeadas, junto a um dermatologista, onde pode-se obter melhoras significativas (mas não eliminação total). Depois de brancas, não existe mais essa opção. O uso tópico de cremes para prevenir o surgimento de estrias nas grávidas falha completamente em efetividade em diversos estudos científicos de revisão, e alguns poucos trabalhos da área que mostram resultados positivos de algumas formulações cosméticas apresentam diferenças não muito significativas.

          A suplementação com colágeno é outra medida de prevenção sem comprovação ou consenso científico ( Vale a pena investir na suplementação com colágeno?) Outra forma de "melhora" nas estrias seria seu mascaramento com pigmentos que imitem o tom da pele, os quais, porém, não são totalmente efetivos e são bastante sensíveis à radiação solar tanto na área colorida quanto em volta (se você bronzear a pele em volta, a cor ficará diferente novamente das áreas delimitadas pelas estrias).

              Caso você se sinta realmente incomodada/o com as estrias e com a celulite, procure sempre um dermatologista, e não caia no truque de cremes ou coisas do tipo que prometem milagres. É bom já deixar claro: por enquanto, somente cirurgias plásticas ou tratamentos de alta intensidade e especializados, feitos por um dermatologista profissional, irão surtir um real efeito, mas não eliminação total das marcas ou prevenção de que novas delas surgirão. As famosas massagens e drenagens linfáticas apenas mostram melhoras passageiras, e, no momento em que elas não são mais aplicadas, as celulites voltam novamente (esses procedimentos apenas distribuem melhor a gordura pela pele, de forma temporária). As melhores dicas são sempre controlar bem o peso, ter um estilo de vida saudável, hidratar bem o corpo e, em maior grau de importância, tente aceitar o seu corpo do jeito que ele é. Estrias e celulite na mulher são apenas marcas de feminilidade.


Observação: No caso de gravidez, sempre procure um dermatologista caso você queira uma indicação de tratamento para prevenir o surgimento de estrias. Usar qualquer produto ou formulação cosmética pode ser um risco para o feto em desenvolvimento, caso a administração ocorra sem a devida orientação e aprovação de um profissional de saúde. O mesmo se aplica durante a amamentação, onde qualquer produto medicinal ou suplemento deve ser consumido apenas sob expressa orientação médica para não trazer prejuízos à qualidade e à taxa de produção do leite no tecido mamário.


Artigo relacionado: Ácido retinóico e Isotretinoína no combate às espinhas


REFERÊNCIAS CIENTÍFICAS
  1. http://www.pharmaceutical-journal.com/learning/learning-article/questions-from-practice-stretch-marks/10997321.article
  2. http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/14651858.CD000066.pub2/abstract
  3. http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/ics.12029/abstract?userIsAuthenticated=false&deniedAccessCustomisedMessage=
  4. http://www.mdsaude.com/2011/12/estrias-tratamento.html
  5. http://link.springer.com/article/10.1007/s00403-013-1336-7
  6.  http://bmcpregnancychildbirth.biomedcentral.com/articles/10.1186/1471-2393-14-330
  7. http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0266613814001715
  8.  http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/bjd.12681/abstract?userIsAuthenticated=false&deniedAccessCustomisedMessage=
  9. http://link.springer.com/article/10.1007/s40257-015-0129-5#/page-1
  10. http://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0097493
  11. http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S174014451500042X
  12. http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/jocd.12154/abstract?userIsAuthenticated=false&deniedAccessCustomisedMessage=
  13. http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/jdv.12193/abstract?userIsAuthenticated=false&deniedAccessCustomisedMessage=
  14. http://www.redalyc.org/pdf/2655/265541072002.pdf
  15. http://www.mdsaude.com/2011/03/celulite-tratamento.html
  16. http://www.japantimes.co.jp/news/2009/01/09/national/collagen-skin-deep-in-myth/#.Vr4pdsuGNUx