YouTube

Artigos Recentes

O que não é ´Natural´?

          É comum as pessoas terem um certo preconceito com os produtos medicinais e comestíveis criados pela tecnologia humana. O famoso ´Esse negócio é cheio de química´. Bem, mas isso não faz muito sentido, por dois motivos.

          O primeiro motivo é que não existe ´Esse negócio é cheio de química´. Tudo é química. Desde os corpos inorgânicos (não baseados em carbono) até os corpos orgânicos (baseados em carbono). A química de um medicamento qualquer é a mesma química encontrada nas folhas de uma planta. Todos os processos químicos ocorrem da mesma forma fundamental, independente do ambiente em que eles estejam.

- Continua após o anúncio -



         O segundo motivo é que não é porque algo é natural, que isso irá fazer bem. Veneno de cobra é natural, mas não é por isso que vamos tomá-lo. A cocaína é um derivado natural de uma planta. E outra: o homem faz parte da natureza, não podemos nos esquecer disso. O que fazemos é fruto direto dela. Se o composto é usado de maneira errada, fica danoso de qualquer maneira, independente se veio de origem natural ou artificial. A química é a mesma em ambos os casos. Se os pesticidas fazem mal, é porque foram produzidos visando apenas uma única função: matar as pragas. Ou seja, faltam pesquisas para diminuir os seus danos colaterais. A química é a mesma em qualquer processo que ocorra no nosso meio. Não existe linha que divide a estrutura básica desses compostos. Se eu comer uma alface, estarei comendo de forma saudável, mas e se eu comer a folha de uma acácia? Da mesma forma, se eu ingerir um antibiótico, da forma correta, para acabar com uma infecção bacteriana, vou melhorar. Mas se eu usar o mesmo antibiótico sem estar doente, ou com um infecção virótica, vou danificar bastante o equilíbrio do meu corpo e não vou melhorar, porque o antibiótico não é para essa situação. 
    
Ambas folhas, ambas naturais, mas a alface ( esquerda) é saudável para o consumo humano e a beladona ( direita) é extremamente tóxica


           O que eu disse acima pode ser algo óbvio para muitos, mas é de extrema importância que todos tenham isso em mente. Por exemplo, se uma pessoa toma um medicamento, não significa, necessariamente, que ela está contrariando a natureza. Pode ser algo tão natural quanto beber um suco de laranja com o objetivo de obter vitaminas e outros nutrientes. Conservantes alimentares podem fazer mal, ou não, dependendo da sua química, assim como comer uma folha de couve fará bem e comer uma folha de oleandro provavelmente irá te matar. Até mesmo os suplementos alimentares são algo natural, apenas feito pelas mãos do homem. Mas, como eu já comentei outras vezes, se você consome algo isolado, estará perdendo diversos outros compostos presentes no alimento original. Suplemento é para suplementar, não substituir. Mas, tirando isso, eles são totalmente seguros, porque a estrutura química é a mesma.

          Outro ponto importante desse assunto, é que diversas empresas se aproveitam da associação entre natural e saudável, para empurrar diversos produtos para o consumidor. Alguns deles são retirados diretamente de plantas, e afins, mas podem não ter eficácia nenhuma ou até serem danosos. Outras vezes a palavra ´natural´ é usado em diversos produtos alimentícios para iludir o consumidor e desviar a atenção da pobreza em nutrientes tragos por eles. Medicinas alternativas sem muita valia são mestres em fazer isso, como a homeopatia e os florais, os quais destacam bem que todos os seus produtos são naturais e ligados à natureza. A medicina chinesa é outro grande exemplo, onde nesta usa-se ervas e partes da animais para criar remédios inúteis e que muitas vezes estão prejudicando a vida dos seus usuário e ameaçando a fauna (Rinocerontes à beira da extinção). Ora, tudo é natureza, tudo é a mesma química. Se uma substância qualquer terá eficácia ou não, dependerá, exclusivamente, da sua forma de emprego, não da sua origem.
 
Toda a propaganda da homeopatia foca na sua origem 'natural'... Mas será que ela é efetiva por causa disso?

             Essa fobia contra a ´química artificial´ acaba fazendo mais mal do que bem. As pessoas, por exemplo, deixam de comer vários alimentos porque têm medo deles conterem agrotóxicos, metais pesados, hormônios, conservantes, e uma infinidade de coisas. Isso afeta, principalmente, o consumo de carnes, ovos e laticínios, fundamentais para a boa saúde da população como um todo. As pessoas acabam evitando comer frutos do mar, como os peixes, porque acreditam que todos eles estão contaminados com grandes quantidades de mercúrio, e muitos evitam o leite porque acreditam que estão cheios de hormônios artificiais. Quando você vai pesquisar cientificamente a qualidade desses produtos, a grande maioria não possuem sequer doses perceptíveis de tais compostos. Então, vem um monte de empresas aproveitadoras, clamando que tudo seu é natural e colhido da natureza, e acabam empurrando para a mesa do consumidor um monte de reais venenos. Outra situação é a pessoa exagerar em todo alimento que  é ´natural´, não ligando para o consumo de sódio, gorduras, carboidratos e uma infinidade de outros excessos nutricionais, e acabar engordando demais e/ou desenvolver sérios problemas de saúde. É acreditar no lobo disfarçado de cordeiro. E não é só a comida que é afetada por isso.

- Continua após o anúncio -



            Medicamentos, tratamentos hospitalares, transgênicos e vacinas são vistos, por muitos, como verdadeiros venenos, por terem sido feitos pela mão humana. Acham que todos estão contaminados com substâncias químicas perigosas só porque não podem ser colhidos, ao natural, de uma planta. O caso das vacinas é um dos piores relacionados com essa situação. Milhões e milhões fazem campanhas contra elas, acusando-as de uma infinidade de coisas, incluindo o autismo. Sim, esse é o agradecimento: apedrejar algo que salvou a humanidade baseando-se em tudo menos ciência e lógica. A fobia dos ´químicos´ e inventividade humana, infelizmente, é mais emocional do que racional. E o problema é que grupos que defendem uma causa, acabam pegando informações infundados e criando um caos de desinformações com elas para angariar mais seguidores. O exemplo mais clássico são os grupos extremistas de proteção aos animais, os quais criam mil e um argumentos contra o consumo alimentar de derivados de animais ( carnes, ovos, etc.), sendo que a maioria são informações extrapoladas ou sem base científica. E, enquanto isso, a fobia só vai aumentando.
 
Jim Carry, e sua esposa, Jenny McCarthy, fazendo uma campanha contra as vacinas, acusando estas de terem causado autismo em seu filho

             Não sei se deixei claro o meu ponto aqui, mas não deixem-se influenciar na escolha de alimentos, remédios ou tratamentos apenas por causa da questão ´natural´. Como eu disse, tudo é natural, ou não seria desse Universo. Esse texto não foi para defender a indústria química, mas para diminuir o preconceito com  a inventividade humana e precaver as pessoas contra o uso errado dos processos chamados de ´naturais´. Tudo o que o ser humano aprende vem da natureza. As pesquisas aplicadas apenas copiam o que a natureza faz. A matéria-prima é sempre a mesma.

ATUALIZAÇÃO (27/10): Fique alerta: Cuidado com as medicinas alternativas contendo ervas

            Se gostaram do conteúdo, ajudem a compartilhar o vídeo no Youtube sobre o assunto e se inscrevam no canal:

            

Artigo relacionado: A homeopatia funciona?