YouTube

Artigos Recentes

A cultura Clóvis representou os primeiros humanos nas Américas?

 
A cultura Clóvis - nomeada em homenagem ao local onde as ferramentas de pedras associadas foram encontradas (Clóvis, Novo México), no início da década de 1930 - pertenceu a uma população de humanos modernos (Homo sapiens) que ocupou a América do Norte durante o final da última Era do Gelo. Um estudo publicado recentemente no periódico Science Advances (Ref.1) - via análises de radiocarbono - encontrou que essas ferramentas foram produzidas durante um curto período de 300 anos (13050-12750 anos atrás), coincidindo com a emergência de múltiplos complexos arqueológicos regionais na América do Norte e a extinção da megafauna nesse continente.


- Continua após o anúncio -


Porém, ainda continua bastante disseminado que a cultura Clóvis representou os primeiros humanos que migraram da Ásia e se estabeleceram nas Américas - atravessando o Estreito de Bering há cerca de 15 mil anos -, evoluindo eventualmente para os atuais povos Nativos Americanos. Porém, evidências arqueológicas e genéticas diversas nas últimas décadas têm derrubado esse cenário, inclusive de exclusividade de travessia associada ao Estreito de Bering.

Em particular, um estudo publicado este ano na Nature (Ref.2) revelou evidências arqueológicas (1900 ferramentas de pedras) de humanos habitando uma caverna do México - Caverna de Chiquihite, 2750 metros acima do nível do mar - há 25-30 mil anos, durante o Último Máximo Glacial e muito antes dos 15 mil atrás anos propostos para a chegada dos primeiros humanos nas Américas. Portanto, os atuais povos nativos Americanos não parecem ser descendentes dos primeiros Americanos. É possível, aliás, que várias tentativas prévias de colonização fracassaram ao longo de vários milênios, antes de um estabelecimento de sucesso (Cultura Clóvis).

> Aliás, já repararam que os Nativos Americanos não possuem variações marcantes na cor da pele ao longo das latitudes Norte-Sul como no restante do mundo? É sempre um tom moreno, com alta capacidade de bronzeamento. Para saber mais sobre a questão e a evolução da cor de pele, acesse: https://bit.ly/3edOugc


REFERÊNCIAS

  1. https://advances.sciencemag.org/content/6/43/eaaz0455 
  2. https://www.nature.com/articles/s41586-020-2509-0