YouTube

Artigos Recentes

Cientistas encontram uma potencial cura para a calvície


Compartilhe o artigo:



        Hoje, a alopécia androgenética (calvície masculina ou feminina) possui apenas duas vias de tratamento não-cirúrgico: minoxidil (para homens e mulheres) e finasterida (somente para homens). Ambas as opções de medicamento são bastante limitadas em termos de eficácia e mesmo a finasterida - a mais efetiva na prevenção da perda permanente de fios de cabelo - não funciona para todos os homens ou mostra efeitos abaixo dos desejados, além de trazer efeitos colaterais ligados à diminuição de libido para uma pequena porcentagem dos homens (1). Em outras palavras, muitos precisam recorrer aos transplantes cirúrgicos de fios de cabelo para tentarem resolver satisfatoriamente o problema.

        Agora, pesquisadores da Universidade de Manchester, liderados pelo Dr. Nathan Hawkshaw, parecem ter descoberto um medicamento extremamente efetivo para prevenir a perda de cabelo gerada pela calvície.

        (1) Para mais informações, acesse: Mitos sobre a calvície

- Continua após o anúncio -



   SFRP1

         Os pesquisadores primeiro ficaram interessados na ação da droga ciclosporina A (CsA), um metabólito originário de fungos e comumente utilizado como um imunossupressor desde a década de 1980 para prevenir a rejeição de um órgão transplantado e reduzir os sintomas de doenças auto-imunes. Mas o que mais chama a atenção é que o CsA é conhecido por frequentemente causar excessivo crescimento de cabelo e pelos (hipertricose) nos pacientes. Em testes ex vivo - em culturas de folículos capilares isolados do escalpo humano - o CsA prolonga a fase de crescimento ativa do cabelo (anágena), algo também demonstrado in vivo (roedores). Os testes in vivo também já mostraram que seus efeitos capilares são independentes do efeito imunossupressor (atividade inibitória das células T). No entanto, esse medicamento não pode ser efetivamente usado para restaurar o crescimento do cabelo devido aos seus efeitos colaterais bastante tóxicos.

          Nesse sentido, os pesquisadores utilizaram a CsA para descobrir qual era o seu alvo na estrutura capilar que o tornava tão efetivo em promover o crescimento dos fios de cabelo. Após várias análises laboratoriais, foi descoberto que essa droga reduzia substancialmente (>2X) os níveis do inibidor endógeno Wnt 'secreted frizzled related protin 1' (SFRP1). O SFRP1 é um importante regulador da atividade canônica da beta-catenina. Quando o SFRP1 é inibido, isso efetivamente aumenta a atividade da beta-catenina nas células de mamíferos, incluindo nos queratinócitos do pré-córtex do cabelo humano e nos fibroblastos da papila dérmica. A sinalização da beta-catenina mostrou ser essencial para o crescimento do cabelo através tanto da indução da fase anágena via propriedades da papila dérmica quanto da diferenciação dos queratinócitos da matriz capilar em bastões de tricócitos.


        Achado o alvo, os pesquisadores procuraram por um antagonista do SFRP1 que pudesse ser administrado em humanos sem trazer efeitos colaterais significativos. A escolha foi o uso do WAY-316606, um agente medicamentoso que estava sendo planejado originalmente para o tratamento de osteoporose e que é bem tolerado, além de ser um antagonista específico do SFRP1.

- Continua após o anúncio -



   EFETIVIDADE

        Folículos capilares humanos ex vivo foram tratados por 6 dias com o WAY-316606, e o crescimento da haste dos fios capilares foi acompanhada. 2 dias após o início do tratamento, a produção da haste capilar (alongamento) aumentou significativamente, ainda mais rápido do que o crescimento induzido pela CsA (o qual tende a ocorrer vários dias depois). Em outras palavras, o agente antagonizante do SFRP1 aumentou o crescimento do cabelo humano, aumentou a expressão da proteína K85 (queratina na haste do cabelo) e inibiu a fase catágena (transição para o período de não-crescimento do fio de cabelo) espontânea em ex vivo.

       Uma grande porcentagem dos folículos capilares - obtidos de pacientes que estavam se submetendo à cirurgia de transplante de cabelo na Crown Cosma Clinica, Manchester, Reino Unido - continuaram na fase anágena durante os 6 dias de tratamento, tanto macroscopicamente quanto microscopicamente, e mostravam um conteúdo bem maior de melanina (pigmento que determina a cor da pele e do cabelo). E como a inibição do SFRP1 via WAY-316606 apenas facilita a sinalização Wnt através de ligantes já presentes nos folículos capilares humanos, essa limitação pode driblar potenciais riscos oncológicos tipicamente associados com a estabilização da beta-catenina, tornando a nova estratégia para a promoção do crescimento capilar muito mais segura do que o CsA (além de ser mais efetiva).

        Agora, o próximo passo é conduzir testes clínicos em pacientes humanos para atestar a efetividade do WAY-316606 in vivo e sua segurança a longo prazo.

        Um fato interessante é que ratos geneticamente modificados para não expressarem a proteína SFRP1 não mostram anormalidades na sua pelagem, o que traz um alerta para os estudos que extrapolam efeitos biológicos a nível capilar de roedores para humanos.

- Continua após o anúncio -



   CONCLUSÃO

        A perda de cabelo devido à calvície é um problema bastante comum, mas que pode levar a efeitos psicológicos negativos, como baixa auto-estima e diminuição da qualidade de vida em geral. Nesse sentido, pesquisadores descobriram que o agente WAY-316606 é uma promissora nova opção farmacológica para a promoção do crescimento capilar, bastante efetiva, universal e que possui um perfil tóxico não preocupante para saúde humana.


Publicação do estudo: PLOS ONE Biology