YouTube

Artigos Recentes

Brookesia micra




O Brookesia micra - sem nome popular ainda - é uma espécie de camaleão descoberta em anos recentes e descrita em 2012. O que mais chama atenção nessa espécie é o seu tamanho: não muito maior do que uma típica formiga!

Com um comprimento total - incluindo a cauda - menor do que 3 centímetros em ambos os sexos (com o macho adulto tendendo a ser maior do que a fêmea), essa espécie, pertencente ao grupo dos camaleões-anões, rivaliza com duas espécies de lagartixas (Sphaerodactylus ariasae e S. parthenopion) como o menor réptil hoje conhecido. Desconsiderando a cauda, os machos dessa espécie alcançam, no máximo, os 1,6 cm de comprimento!
   
   

A extrema miniaturização dessa espécie pode ter sido resultado de uma adaptação evolutiva para permitir a sobrevivência de um máximo populacional na menor área habitável possível (melhor aproveitamento de recursos) ou de uma maior disponibilidade de locais exploratórios, seja para a busca por alimentos seja para encontrar mais refúgios contra predadores.

De hábitos diurnos, fica ativo durante o dia se alimentando de pequenos invertebrados e formigas, mostrando grande preferência em ficar empoleirado em galhos mortos de plantas. À noite, pode assumir vários modos de proteção enquanto se recolhe para o descanso, especialmente se posicionando como um folha morta. Sua coloração muda de uma tonalidade bem escura para uma bem esbranquiçada em resposta a estresses externos diversos. Sua expectativa de vida e hábitos de acasalamento ainda são desconhecidos, pelo escasso corpo de estudos ainda existentes sobre a espécie.

Típica mudança de cor da espécie

Nativa do ilhéu de Nosy Hara na província de Antsiranana, em Madagáscar, essa espécie é mais um fruto evolucionário único dessa grande e famosa ilha africana. Devido à sua aparente alta especialização florestal, comportamento não migratório e com a população localizada apenas em áreas de Nosy Hara, a espécie é considerada como em quase ameaça de conservação, sendo muito vulnerável à possíveis degradações ambientais, mudanças climáticas e turismo em seu habitat. Estudos recentes estimam que sua população total está entre 70 e 95 mil indivíduos.

Pesquisador observando um adulto fêmea de B. micra


REFERÊNCIAS:
1. http://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0031314
2. http://www.iucnredlist.org/details/42687009/0
3. https://www.researchgate.net/publication/283706469_Habitat_selection_behavior_and_natural_history_of_the_newly_described_leaf_chameleon_Brookesia_micra_Reptilia_Squamata_Chamaeleontidae_Glaw_Kohler_Townsend_Vences_2012_on_Nosy_Hara_Madagascar