YouTube

Artigos Recentes

O que faz o membro ficar dormente?



          Provavelmente, todos já devem ter passado por isso. Na hora de acordar, um grande susto surge quando percebemos que nosso braço está todo esquisito, com sensações de formigamento, leves fincadas de agulha, perda de tato, dificuldade de movimento e diversas outras sensações estranhas. Aí começamos a bombear sangue com as mãos para ele começar a voltar ao normal, ou esperamos um pouco, e logo o susto passa.

         Em termos médicos, esse fenômeno é chamado de parestesia, e pode afetar diversas regiões do corpo, mas os dedos, mãos, braços, pernas e pés são os mais atingidos. As causas são várias, podendo a parestesia estar relacionada com alguma doença ou apenas ser um evento isolado. Neste último caso, as causas principais são o corte de suprimento de sangue para os tecidos, pressão sobre algum nervo ou devido a uma imobilização prolongada de algum membro. A que ocorre durante o sono é, geralmente, devido à diminuição do fornecimento de sangue para alguma parte do corpo por causa do pressionamento de vasos sanguíneos durante uma má postura na hora de dormir ou durante possíveis movimentos involuntários durante o sono. Outra causa bem comum é uma contínua pressão sobre nervos do membro afetado. Em outras palavras, você dorme em cima do braço, por exemplo. E, claro, em qualquer situação onde você pressione os vasos sanguíneos ou os nervos, a parestesia irá surgir, como quando você cruza as pernas por muito tempo.

            Quando o fluxo sanguíneo normal é interrompido, os tecidos afetados ficam sem oxigênio e outros nutrientes em quantidades ideais. Assim, os nervos passam a funcionar de forma ´avacalhada´, parando de mandar sinais nervosos de forma lógica. Com isso, sinais difusos e caóticos começam a chegar no cérebro e você perde grande parte do controle sensorial do membro afetado. Da mesma forma, se você ficar pressionando um nervo, os sinais nervosos começarão a chegar de forma confusa, disparando os mesmos efeitos colaterais.

            Apesar de parecer algo bem danoso aos tecidos afetados, a parestesia ocasional e de curta duração ( ou membro dormente, no popular), gerada por má postura, não gera problemas para nenhum dos dois. Existem outras formas de parestesias mais fortes, espontâneas e recorrentes ( já relacionadas com doenças neurais ou lesões em nervos) que são realmente preocupantes por indicarem enfermidades perigosas. Mas as causadas por uma postura inadequada são geralmente inofensivas. E, normalmente, quando a dormência é prolongada durante o sono, por exemplo, você acaba sendo forçado a acordar para o fluxo de sangue voltar ao normal ou para a pressão sobre o nervo afetado ser cessada. Mas caso a dormência não volte, ou demore muito a voltar, é recomendado procurar um médico o mais rápido possível porque isso pode significar problemas mais graves.

(1) São muitas as possíveis causas para uma parestesia frequente, persistente ou crônica. Deficiência no complexo da vitamina B; níveis anormais de cálcio, potássio e sódio no corpo; má circulação sanguínea; lesões nervosas; pressão sobre os nervos devido à alguma deformação fisiológica ( hérnia de disco, por exemplo); síndrome do túnel Carpal; esclerose múltipla; diabetes; entre várias outras.

Artigo relacionado: O que é a aterrorizante Paralisia do Sono?

REFERÊNCIAS CIENTÍFICAS
  1. http://www.ninds.nih.gov/disorders/paresthesia/paresthesia.htm
  2. http://scienceline.org/2008/11/ask-hadhazy-arm-falls-asleep/
  3. http://www.chiro.org/ChiroZine/FULL/Paresthesias.shtml
  4. http://www.jad-journal.com/article/S0165-0327%2807%2900101-2/abstract
  5. http://mpkb.org/home/symptoms/neurological/paresthesia 
  6. https://medlineplus.gov/ency/article/003206.htm