YouTube

Artigos Recentes

Qual é o tamanho da Grande Mancha Vermelha em Júpiter?

Figura 1. Imagem composta de Júpiter. A seta aponta a Grande Mancha Vermelha.

- Atualizado no dia 4 de novembro de 2023 -

          Na imagem acima (Fig.1) - criada através de um compósito de várias imagens de Júpiter obtidas a partir do Telescópio Espacial James Webb (1) -, foram usados três filtros: F360M (vermelho), F212N (amarelo-verde), e F150W2 (ciano) (Ref.1). As regiões vermelhas nos polos representam as auroras em altas altitudes. As regiões amareladas e esverdeadas são névoas de partículas (de composição não muito bem definidas, mas provavelmente incluindo hidrocarbonetos), espiralando ao redor dos polos norte e sul. Em azul, temos luz sendo refletida por massivas nuvens provavelmente constituídas de amônia (NH3) ou amônia e água, misturada com outras substâncias. A famosa Grande Mancha Vermelha - uma tempestade tão grande que poderia engolir a Terra - aparece em branco (mancha circular), devido à intensa reflexão de luz nessa região.

--------------

(1) A imagem foi capturada pela Câmera de Infravermelho-Próximo (NIRCam) do James Webb*. Como as observações do James Webb são no infravermelho (faixa do espectro eletromagnético invisível para o olho humano), e, portanto, as cores nas imagens são artificiais: geralmente, os mais longos comprimentos de onda no infravermelho (menos energéticas) correspondem a cores mais vermelhas e as ondas mais curtas (mais energéticas) com cores mais azuis.

*Leitura recomendadaPrimeira imagem histórica do Telescópio James Webb é finalmente liberada

-------------

  
Figura 2. Visão em ultravioleta de Júpiter através das lentes do Telescópio Espacial Hubble, onde podemos ver bem escurecida a Grande Mancha Vermelha. Em contraste com a imagem no infravermelho, onde observamos grande reflexão, as partículas suspensas em alta altitude nessa região absorvem luz no UV, tornando-a particularmente escura. Cores no visível foram usadas para diferenciar diferentes filtros de UV usados: azul (F225W), verde (F275W) e vermelho (F343N). Ref.6

           Existem numerosas tempestades em Júpiter (Fig.3). A Grande Mancha Vermelha é a maior e mais famosa delas, um anticiclone se estendendo por mais de 350 quilômetros abaixo das nuvens e persistindo por centenas de anos. Os anticiclones, que giram na direção oposta em relação aos ciclones, são mais frios na parte superior e mais quentes na parte inferior. Evidência recente (Ref.4) aponta que ventos em certas regiões dessa massiva tempestade em Júpiter atualmente excedem velocidades de 640 km/h. Assim como a grande tempestade oval observada na parte inferior da Fig.3 - onde parece inexistir significativo movimento aparente em seu centro -, os ventos provavelmente desaceleram dramaticamente no sentido central da Grande Mancha Vermelha.

 

Figura 3. Essa imagem foi capturada com a ajuda da sonda espacial Juno, em maio de 2018, e retrata cinturões circulantes de nuvens e tumultuosos vórtices dentro do hemisfério norte de Júpiter. Na época, Juno estava a cerca de 15500 km acima das nuvens de alta altitude no topo do planeta, acima da latitude de 56°. Nessa caótica e turbulenta cena, cores mais escuras, no geral, representam material em regiões mais profundas da atmosfera, enquanto regiões mais claras representam materiais em regiões superiores. As nuvens brilhantes e claras são provavelmente constituídas em maior parte de amônia ou amônia e água, misturado com outras substâncias químicas desconhecidas.

CURIOSIDADE: Sabia que, assim como Saturno, Júpiter também possui anéis? Fica a sugestão de leitura: Saturno é o único planeta no Sistema Solar com anéis?


REFERÊNCIAS

  1. https://blogs.nasa.gov/webb/2022/08/22/webbs-jupiter-images-showcase-auroras-hazes/
  2. https://solarsystem.nasa.gov/planets/jupiter/in-depth/
  3. https://www.nasa.gov/feature/goddard/jupiter-s-great-red-spot-a-swirling-mystery
  4. https://www.nasa.gov/feature/goddard/2021/hubble-shows-winds-in-jupiters-great-red-spot-are-speeding-up
  5. https://www.nasa.gov/image-feature/jpl/chaotic-clouds-of-jupiter
  6. https://www.nasa.gov/image-article/hubble-provides-unique-ultraviolet-view-of-jupiter/