YouTube

Artigos Recentes

Tabaco sem fumo: seguro?



           Apesar de serem consideradas formas bem mais, ou totalmente, seguras de se consumir o tabaco, a mastigação ou aspiração do mesmo - como o rapé - carrega consideráveis riscos à saúde. Muitos acham que o consumo ´não fumado´ do tabaco é uma alternativa válida para o abandono do vício do cigarro, mas isso não encontra base em nenhuma recomendação das agências internacionais de saúde. Qualquer consumo do tabaco leva a fortes vícios e riscos aumentados para diversas doenças.

          A queima do tabaco produz centenas de substâncias cancerígenas, monóxido de carbono, fuligem danosa, entre outros subprodutos perigosos. Podemos citar diversos tipos de tumores malignos e doenças crônicas generalizadas induzidas pelo fumo do tabaco, seja através de cigarros, charutos, narguilé, cigarros de palha, etc. E, sim, consumir o tabaco sem fumá-lo realmente possui menos riscos de contrair tais problemas de saúde, mas isso não quer dizer que sejam inofensivos. Falar que usar rapé ou tabaco mastigável é uma forma aceitável de evitar o fumo é o mesmo que trocar o veneno de uma Mamba-Negra pelo veneno de uma Naja, sendo que existe outras opções que não requerem o contato com nenhum dos venenos. Se você quiser parar de fumar, procure métodos defendidos pelas agências de saúde (chicletes ou adesivos de nicotina, por exemplo). Se você não fuma, não invente de começar o vício na nicotina através de formas supostamente livres de riscos à saúde.

Embora muitos produtos de tabaco não-fumado sejam vendidos como formas inofensivas de absorver a nicotina, eles estão longe de serem seguros e, no máximo, só são menos prejudiciais do que o fumo quando analisamos o quadro geral

            Mesmo não queimando, o tabaco possui, no mínimo, 28 tipos diferentes de substâncias cancerígenas. Entre elas podemos citar hidrocarbonetos aromáticos policíclicos, polônio-210 (um elemento radioativo encontrado nos fertilizantes de tabaco) e, principalmente, nitrosaminas. Metais tóxicos também podem estar misturados ao tabaco, como o arsênio, berílio, cádmio, cromo, cobalto, chumbo, níquel e mercúrio. Os principais cânceres associados são o oral, no esôfago e no pâncreas. Além disso, os riscos de ataques cardíacos, perda de dentes e lesões graves na boca podem aumentar bastante quando analisamos as formas mastigável e por absorção (1). E, ao contrário do que alguns dizem, o vício é tão potente quanto na versão fumada, sendo que o pó aspirável e a base oral podem liberar até mais nicotina em um mesmo tempo de uso, dependendo dos aspectos físico-químicos do produto e técnica de consumo.

O uso do tabaco, na forma não fumada, é bastante difundido na Ásia, especialmente na Índia, e diversas doenças, como o câncer, são bem comuns em países como a China, Indonésia e, principalmente, Índia devido ao uso do tabaco mastigável e por aspiração
          Outro problema em ser um usuário de tabaco é o perigo imposto às crianças que convivem no mesmo ambiente que você. Por causa do fato de que grande parte desses produtos são aromatizados com sabores diversos, incluindo de doces, as crianças muito pequenas podem ficar tentadas a comê-los achando ser algo saboroso. Com isso, podem acabar tendo uma intoxicação com as altas quantidades de nicotina ingeridas, ficando fácil do quadro se agravar por serem muito novos. Diversos casos já foram reportados de incidentes como esse, e faz parte das recomendações das agências de saúde evitar ter produtos de tabaco perto de crianças e, até mesmo, de animais domésticos. E não duvide que as empresas do tabaco usam esses aromatizantes saborosos para atrair um público mais infantil e adolescente a se tornarem clientes vitalícios e escravos do vício.

          Não existe nível seguro para o uso de quaisquer que sejam as formas de tabaco. Todos os produtos que possuem ele na sua composição são potentes agentes cancerígenos e seu uso deve ser evitado. Caso você esteja viciado com o tabaco, procure ajuda o mais rápido possível. Parar com o uso dessa e de outras diversas drogas não traz benefícios apenas para a sua saúde, mas, também, um bom exemplo para todos à sua volta, especialmente as crianças e os adolescentes.

(1) Uma mistura colocada atrás da gengiva, ficando fixa na boca e permitindo a absorção gradual de nicotina pelas mucosas. Existem diversas formas que o produto pode tomar para atender esse uso.

Tabaco e Baseball: O terrível hábito de mascar tabaco antes e durante os jogos entre os jogadores de Baseball, já foi banido das ligas menores nos últimos anos. Mas as autoridades de saúde ainda acham esse banimento pouco convincente e querem que o mesmo se estenda para as ligas maiores também.

O hábito vem dos anos 70, quando os jogadores mascavam fumo para manter a boca úmida e, com a saliva cuspida, impedir que as luvas ficassem ressecadas. Mas com as novas tecnologias empregadas no vestuário do atleta nas últimas décadas, o hábito tornou-se apenas um costume de tradição altamente prejudicial. Já foram vários atletas falecidos com cânceres na região da boca proveniente do tabaco mascado e muitos sofrem com severos danos. Na Índia, estima-se que 90% dos casos de câncer de boca são causados pelo fumo mascado.Além disso, as doses de nicotina ingerida em cada mascada é alta, e durante um período de meia hora, correspondem ao consumo de três cigarros, contribuindo para o vício e busca pelo fumo tradicional.

 Muitos jogadores que gostam de dar a cuspida tradicional nas luvas, já optam por mascar chicletes e agora vão ter muitos outros seguidores se estes quiserem permanecer no time. Fonte de referência: BBC News

ALERTA: Segundo a WHO ( Organização Mundial da Saúde, na sigla em inglês), a epidemia mundial do tabaco (fumo, aspiração, ingestão ou mastigação), no século XX, matou mais de 100 milhões de pessoas. Atualmente, 5,4 milhões de mortes acontecem todos os anos e, caso nada seja feito...

1.... A partir de 2030 serão mais de 8 milhões de mortes por ano, onde cerca de 80% das mortes ocorrerá em países em desenvolvimento;

2. E, durante o caminhar do nosso século, é estimado que 1 bilhão de pessoas morram.

Apesar de ser a causa de morte de mais fácil prevenção (ou seja, existe uma cura definitiva: parar de fumar), o tabaco mata mais gente que a Aids, Tuberculose e Malária em conjunto.

Não deixem as estatísticas ganharem. Busque tratamento e, caso nunca tenha usado tabaco, permaneça assim. O uso do tabaco não faz mal apenas para você, ele causa danos diretos (fumaça) e indiretos (perda familiar) às pessoas ao seu redor. E o pior: dá mal exemplo aos mais jovens, alimentando o ciclo de vícios.


Artigo relacionado: Os cigarros eletrônicos são realmente saudáveis?

Artigo associado: Betel: um mal negligenciado!

Artigo recomendado: Fumo da maconha: lobo sob a pele de cordeiro! 


REFERÊNCIAS CIENTÍFICAS
  1. http://www.cancer.gov/about-cancer/causes-prevention/risk/tobacco/smokeless-fact-sheet
  2. http://www.cancer.org/cancer/cancercauses/tobaccocancer/smokeless-tobacco
  3. http://www.cdc.gov/tobacco/data_statistics/fact_sheets/smokeless/health_effects/
  4. http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0273230009002025
  5. http://www.who.int/topics/tobacco/en/
  6. http://health.gov.ie/healthy-ireland/tobacco/
  7. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25735356 
  8. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26443187
  9. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25411778
                                                                           Anúncio