YouTube

Artigos Recentes

A Maca Peruana é tudo o que dizem?



         A Maca Peruana (Lepidium meyenii) é uma planta que vem ganhando grande fama e popularidade pelo mundo. De fato, a raiz da maca é bastante nutritiva, possuindo diversas vitaminas, minerais, proteínas (com aminoácidos variados e de ótima absorção), carboidratos de baixo índice glicêmico (e ainda aliados com bastante fibra), lipídios insaturados saudáveis e outros compostos ativos. Mas os benefícios da maca peruana estão sendo muito exagerados com o único intuito de impulsionar a venda desse alimento.

- Continua após o anúncio -



         Bem, fora seu rico conteúdo nutricional, existem diversos estudos científicos que sugerem benefícios à saúde das pessoas que consomem essa raiz. Seria um estimulante sexual (muitos não obtêm efeito algum), aumentaria a contagem de esperma (melhorando a fertilidade),  beneficiaria o humor, otimizaria a memória, auxiliaria no tratamento da osteoporose e em algumas síndromes de metabolismo, e existem alguns indícios que certos tipos de tumores podem diminuir um pouco com o seu uso (junto com os outros tratamentos padrões). Mas que isso fique claro: nem todos os estudos são conclusivos, e podem cair ou não no futuro, principalmente porque ainda não se conhece muito bem os mecanismos de ação dos seus ´princípios ativos´ ou se eles possuem real significado clínico. E é bom destacar que existem três tipos de maca: vermelha, amarela e preta. Nem todas elas proporcionam os  efeitos listados acima. Por exemplo, somente  a preta e a amarela - essa última em menor intensidade - melhoram a fertilidade, e, na otimização da memória, apenas a preta mostrou resultados significativos, mas questionáveis.

          Agora, dizer que ela emagrece, cura câncer, aumenta o nível de testosterona do corpo, cura diversas doenças, e outros absurdos, são apenas lorotas.  ´Curar câncer´ eu já disse milhões de vezes aqui, mas é sempre bom repetir: não existe uma única substância que vai dar um jeito nas centenas de tipos de câncer. Quando um cara fala que algo ´cura o câncer´, ele provavelmente nem sabe o que é um câncer.  Quanto ao ´emagrecer´ não existe nada científico que relaciona efeitos parecidos. Quer emagrecer com saúde? Siga uma dieta saudável, pratique atividades físicas e coma menos calorias do que você gasta.

Apostem no poder nutricional da Maca, e não nos seus supostos poderes curandeiros

           O ´aumento de testosterona´ é a afirmação que está fazendo o maior sucesso da maca entre os praticantes de musculação. Diversos suplementos proteicos estão vindo agora com o pó de maca dizendo que ele aumenta, naturalmente, a produção de testosterona no corpo, promovendo, com isso, forte ganho de massa muscular.  E sabe de onde veio essa mentirada? Sim, do fato de que a maca é famosa por aumentar a libido. E, como a libido é algo também ligado ao nível de testosterona circulante, a conclusão lógica é que se ela aumenta a libido, então aumenta a testosterona do corpo. E eu ouvi isso há um tempo no programa ´Fábrica de Monstros´, no Youtube, durante a propaganda de uma marca de suplementos patrocinadora. Não, o efeito de libido ainda é questionável e já foi provado que não existe aumento hormonal algum devido à ingestão da maca. Os níveis de testosterona e estradiol no corpo não mudam (1).

- Continua após o anúncio -



           Conclusão? A maca peruana é realmente saudável, mas não é milagrosa. Ela pode apenas compor mais uma parte da sua dieta equilibrada, mas não deve ser o foco. Sempre consulte agências de saúde, um médico ou artigos científicos antes de comprar um ou outro produto destinado à sua saúde para não cair em golpes de venda, os quais podem inclusive trazer mais prejuízos do que benefícios ao seu corpo em muitos casos.

(1) Não existem ervas ou suplementos alimentares com propriedade comprovada de aumentar o nível de testosterona no corpo. Explorei o assunto no artigo: Ervas e suplementos para aumentar a testosterona?


Artigo Relacionado: Quais os benefícios terapêuticos da Castanha-da-Índia?


REFERÊNCIAS CIENTÍFICAS
  1. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3184420/
  2. http://www.rhsm.usach.cl/ojs/index.php/blacpma/article/view/2430
  3. http://www.hindawi.com/journals/ecam/2015/949036/abs/
  4. http://www.cabdirect.org/abstracts/20153291986.html;jsessionid=DBE203A4737C53A8C7D190A8E2EC3047
  5.  http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20090350