YouTube

Artigos Recentes

Mitos e realidades sobre o camelo



           Existem 3 mitos em relação aos camelos, com 2 deles envolvendo suas corcovas. O mais engraçado é que uma das crenças é bem simples e outra é bem complexa ( parece ter uma incrível base científica por trás).

           Bem, começando com as corcovas, não, elas não são uma reserva de água. Na verdade, elas são ricas em gordura, ou seja, apenas são uma reserva de energia para o camelo. Agora, o segundo mito vem da gordura dessa corcova e envolve uma bioquímica que faz sentido, mas não se encaixa para esse caso.

Não, as corcovas do camelo não são um reservatório de água

           Em toda metabolização energética, tanto de gorduras quanto do carboidratos, na presença de oxigênio ( oxidação) ocorre a formação de água e gás carbônico como produtos finais de uma complexa cascata de reações bioquímicas, envolvendo a formação de piruvato, o ciclo de Krebs e a cadeia respiratória. Muitos pensam que essa grande reserva de gorduras dos camelos serve, além de fornecer energia, para a produção de água, a qual manteria o corpo hidratado durante os períodos de escassez hídrica. Porém, se o camelo oxidasse sua gordura com o objetivo de gerar água, ele perderia grande quantidade dela durante a respiração ( troca massiva de gás carbônico produzido e oxigênio reagente) e aumento excessivo da temperatura durante o processo de ´queima calórica´. Não, por mais charmoso e complexo que esse processo possa parecer, ele não faz sentido prático.

            O terceiro mito é em relação à suposta água ingerida em excesso pelo camelo durante os períodos de oferta hídrica. Assim, o camelo beberia quantidades absurdas de água armazenando o excedente no seu corpo, para ser usado posteriormente nos momentos de seca. Mais uma vez, isso é apenas lenda. O camelo, quando bebe água, apenas ingere o suficiente para reidratar o seu corpo. De qualquer forma, esse ´suficiente´ é muita coisa, sendo que eles conseguem beber enormes quantidades de água em poucos minutos ( um camelo de 600 quilos pode beber até 200 litros de água em cerca de 3 minutos!). Suas hemácias sanguíneas até possuem um formato diferenciado do habitual entre os mamíferos para suportarem grandes quantidades de água entrando na corrente sanguínea ( a pressão osmótica aumenta bastante).

              Beleza...Mas se tudo isso não passa de mitos, como o camelo se vira tão bem no deserto, enfrentando longos períodos de completa falta de água no ambiente? Simples: eles possuem diversas adaptações que não são populares quanto os mitos.

Os camelos são mestres em preservar a água do seu corpo. Enumerando...

1...Eles produzem muito pouca urina e, quando produzem, fazem com que ela seja a mais concentrada possível para minimizar a perda de água. Suas fezes também são incrivelmente secas, saindo com aparente falta absoluta de umidade;

2. Suas narinas possuem uma área superficial muito grande e possuem diversas estruturas espiraladas, com ambas características se unindo para forçar grande parte da água arrastada pela respiração a condensar dentro do nariz e ser reabsorvida pelo corpo;

3. Os camelos conseguem suportar altas temperaturas corporais, tão grandes quanto 40°C. Isso faz com que pouca água seja necessária para resfriar o corpo, ou através do suor ou ofegando. Eles aproveitam as baixas temperaturas do deserto à noite para perderem o excesso de calor corporal. Além disso, suas longas pernas mantêm seu corpo bem afastado das areias quentes, contribuindo para o resfriamento;

4. Mesmo perdendo água do corpo durante períodos muito grandes de seca, os camelos conseguem ainda caminhar ´tranquilamente´ sob o forte Sol do deserto em condições de desidratação que ficam na faixa de incríveis 30-40%! Para se ter uma ideia, se nós perdemos de 1-2% da nossa massa corporal na forma de água, já passamos a ficar com bastante sede. Se perdemos mais de 5%, passamos a ter graves consequências no organismo. Se perdemos um pouco mais de 20%, a morte é quase certa!

            Além dessas incríveis habilidades de ´manipulação hídrica´, a gordura na corcova dos camelos ainda serve para proteger do aquecimento solar, já que as gorduras são péssimas condutoras de calor. Os pelos mais grossos por cima das corcovas também servem para a proteção dos raios solares ( alguns possuem verdadeiras jubas nessa região) e conservação da temperatura corporal. E olha que eu não listei todas as adaptações do camelo...

Os camelos, sem dúvida alguma, são um dos melhores exemplos de adaptação na natureza

                     A pergunta que fica é: por que essas proezas não são divulgadas com a mesma eficiência dos mitos?...:)

Artigo relacionado: Mitos sobre o álcool comum

REFERÊNCIAS CIENTÍFICAS
  1. http://www.djur.cob.lu.se/Djurartiklar/Kamel.html
  2. https://pag.confex.com/pag/xxiv/webprogram/Paper18655.html
  3. http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/030096299290522R
  4. http://www.bbc.co.uk/schools/gcsebitesize/science/edexcel_pre_2011/environment/evolutionrev2.shtml
  5. http://www.nma.gov.au/__data/assets/pdf_file/0017/19421/Extremes_desert_science.pdf
  6. https://www.environment.gov.au/system/files/pages/a117ced5-9a94-4586-afdb-1f333618e1e3/files/60-ind.pdf