YouTube

Artigos Recentes

Qual é a espécie peixe marinho com um tripé?

Figura 1. Peixe-tripé, no Caribe, a uma profundidade de 1996-2022 metros.

 
           O curioso peixe na Fig.1 pertence à espécie Bathypterois grallator e é popularmente conhecido como "peixe-tripé", devido ao comportamento de estender três longas projeções das suas nadadeiras pélvicas e caudais modificadas para "sentar" no solo marinho. Possui ampla distribuição em oceanos temperados e tropicais, da latitude de 40°N até a latitude de 40°S, habitando águas com profundidades de 900 m até 4700 m. Com comprimento corporal de ~30 cm e olhos muito reduzidos (adaptação ao ambiente escuro do mar profundo), as longas nadadeiras modificadas crescem até cerca de 1 metro.

- Continua após o anúncio -


           Quando as longas nadadeiras modificadas são usadas para sentar no substrato oceânico (com o auxílio de almofadas especiais nas pontas), essas se tornam rígidas, mas parecem ficar flexíveis quando em raras ocasiões esses peixes são observados nadando. O peixe-tripé passa a maior parte da vida sentado no solo oceânico - tipicamente contra a correnteza -, esperando por presas. As longas e ricamente inervadas nadadeiras peitorais (posicionadas para cima, no sentido da superfície oceânica) parecem ajudar a sentir e capturar presas diversas, como pequenos crustáceos. Esses peixes também consomem microrganismos diversos via filtração (ex.: zooplâncton).

          Durante o nado, a nadadeira caudal alongada fica quase paralela em relação ao corpo, e abaixa de forma independente em relação às nadadeiras peitorais quando o peixe-tripé volta a "pousar" no solo oceânico (Fig.2). As nadadeiras peitorais modificadas parecem também ajudar na estabilização do pouso.

Figura 2. "Aterrissagem" de um B. grallator, observado a uma profundidade de 1443 metros. A nadadeira caudal alongada é baixa de uma posição paralela para uma posição perpendicular até entrar em contato com o substrato marinho, seguindo contato das nadadeiras pélvicas. Já as nadadeiras peitorais se movem de uma posição horizontal para uma posição perpendicular e com as pontas apontando para cima. Ref.3

           Outra curiosidade sobre os peixes-tripés é que esses são hermafroditas simultâneos, possuindo ambos os órgãos reprodutivos (feminino e masculino) que maduram ao mesmo tempo. Caso não encontre um parceiro sexual - o que acontece frequentemente por ser uma espécie solitária bêntica -, o peixe fertiliza seus próprios oócitos com seus próprios espermatozoides.

> Vídeo mostrando um B. grallator durante nado no fundo do mar: Instagram 

> O gênero Bathypterois engloba 19-23 espécies descritas, todas altamente adaptadas a uma vida junto ao solo oceânico e coletivamente chamadas de "peixes-tripés".


REFERÊNCIAS

  1. https://www.aquariumofpacific.org/onlinelearningcenter/species/tripod_fish
  2. https://fishesofaustralia.net.au/home/species/2779
  3. Davis & Chakrabarty (2011). Tripodfish (Aulopiformes:Bathypterois) locomotion and landing behaviour from video observation at bathypelagic depths in the Campos Basin of Brazil. Marine Biology Research, 7(3), 297–303. https://doi.org/10.1080/17451000.2010.515231
  4. https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0967063714000193
  5. https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/j.1095-8649.2009.02324.x
  6. https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-897528