YouTube

Artigos Recentes

Qual é a espécie de lesma marinha que expande a cabeça?

Figura 1Fotografia de uma lesma marinha da espécie Melibe viridis durante alimentação, com o "capuz" expandido. A foto foi tirada nas Ilhas Maltesas, no Mar Mediterrâneo, a uma profundidade de 20 metros, e o espécime possui cerca de 16 cm de comprimento. 

          O gênero Melibe compreende  nudibrânquios (uma subordem de moluscos gastrópodes) que se alimentam ao expandir o grande "capuz" oral com tentáculos sensoriais usado para capturar pequenos crustáceos (!). A morfologia digestiva desse grupo é amplamente modificada, e todas as espécies não expressam rádula (estrutura na base bucal de moluscos usados para raspagem de alimentos) e possuem um estômago circular. Algumas espécies de Melibe também formam relações simbióticas com organismos unicelulares fotossintéticos Zooxantela, como a M. engeli e a M. pilosa; historicamente, a espécie M. leonina também tem sido sugerida de formar relações simbióticas com Zooxantela, mas evidência recente sugere que esse molusco sequestra pigmentos da sua dieta com o propósito de camuflagem e não para simbiose (Ref.2).

(!) Vídeo mostrando esse esse sistema de alimentação: clique aqui (Twitter).

             Falando na espécie M. leonina (Fig.2), esta tem sido usada de forma promissora em estudos experimentais como modelo de regulação neural de estado comportamental. Essa espécie se alimenta usando movimentos rítmicos com seu capuz oral (estacionária ou durante rastejamento) e sua atividade locomotória pode ser facilmente quantificada (incluindo mudanças ao longo do dia ou em estado de fome), tudo controlado com um sistema nervoso bem simples constituído por um pequeno número de neurônios grandes e individualmente identificáveis (Ref.3).


Figura 2. Dois espécies de Melibe leonina no Alaska SeaLife Center.

Figura 3. Espécie Melibe arianeae (visão dorsolateral), coletada na Flórida, no oceano Atlântico [tropical]. Ref.1

Figura 4. Relação filogenética de todas as espécies do gênero Melibe descritas até 2013. Ref.1


REFERÊNCIAS

  1. Espinoza et al. (2013). A tropical Atlantic species of Melibe Rang, 1829 (Mollusca, Nudibranchia, Tethyiidae). ZooKeys 316:55-56. https://doi.org/10.3897/zookeys.316.5452
  2. Watson et al. (2021). The Digestive Diverticula in the Carnivorous Nudibranch, Melibe leonina, Do Not Contain Photosynthetic Symbionts, Integrative Organismal Biology, Volume 3, Issue 1, obab015. https://doi.org/10.1093/iob/obab015
  3. Lee & Watson (2022). In the sea slug Melibe leonina the posterior nerves communicate stomach distention to inhibit feeding and modify oral hood movements. Frontiers in Physiology. https://doi.org/10.3389/fphys.2022.1047106