YouTube

Artigos Recentes

Alerta: pais não devem comprar posicionadores para dormir visando seus bebês!



          Uma dúvida que sempre atormenta os pais é a velha questão de como colocar um bebê para dormir de forma segura. A Morte Súbita Infantil Inesperada (SUID, na sigla em inglês) - a qual inclui a Síndrome da Morte Súbita do Lactente (SMSL) - é um grande temor para todos os pais e traz profundos traumas para a família quando, infelizmente, ocorre. Nesse sentido, o FDA lançou mais um sério alerta sobre os produtos chamados de ´posicionadores para dormir´, cuja função é manter o bebê em uma posição específica enquanto ele está dormindo. Segundo a agência de saúde norte-americana (Ref.1), o acessório não mostra benefícios, pode causar sufocação no bebê e está ligado a 12 mortes infantis nos EUA. Esse é um grave alerta para os pais não comprarem o produto e seguirem as orientações médicas de segurança para os bebês.



Nestes artigo será discutido:
  • SUID e SMSL
  • Como colocar seu bebê para dormir de forma segura
  • O perigo dos posicionadores de sono e a importância de se seguir as orientações médicas baseadas em reais evidências científicas
- Continua após o anúncio -



    O QUE É A SUID E O SMSL?

           A morte súbita infantil inesperada (SUID) é um termo usado para descrever qualquer morte súbita e inesperada, seja explicada ou não (incluindo SMSL), que ocorra durante o primeiro ano de vida. Após investigação dos casos, a SUID pode ser atribuída a asfixia, infecção, aprisionamento, ingestão de tóxicos, doenças metabólicas, arritmias ou trauma (acidental ou não acidental).

            Em específico, a Síndrome da Morte Súbita do Lactente (SMSL) - termo mais comumente familiarizado - é caracterizada por uma súbita e inexplicável morte de um bebê com menos de 1 ano de idade, onde não se encontra uma causa mesmo depois de uma completa investigação. A maior parte das mortes por SMSL ocorrem entre 1 mês e 4 meses de idade do bebê.

            Todos os anos, só nos EUA, ocorrem cerca de 4 mil mortes por SMSL ou sufocação acidental, de acordo com o NICHD (Instituto Nacional da Saúde da Criança e Desenvolvimento Humano, traduzido da sigla em inglês). Causas associadas com o sono dos bebês são aquelas ligadas a como ou onde um bebê dorme ou dormiu. Nesse caso, temos causas acidentais, como: sufocação; aprisionamento, quando o bebê fica preso entre dois objetos - como um colchão e uma parede - e fica impedido de respirar; ou estrangulamento, quando algo pressiona ou se entrelaça ao redor do pescoço do bebê, bloqueando suas vias aéreas.

- Continua após o anúncio -



  COMO DEIXAR O AMBIENTE MAIS SEGURO PARA O BEBÊ DORMIR?

          Em 1992, a Academia Americana de Pediatria (AAP) publicou a sua primeira recomendação sobre a SMSL, na qual recomendava que os bebês ficassem deitados de barriga para cima (decúbito dorsal) quando estivessem dormindo. Nos últimos anos, a AAP expandiu as suas recomendações e, em vez de se concentrar apenas na SMSL, foca-se num ambiente seguro para dormir que pode reduzir no bebê o risco de morte por várias causas relacionadas com o sono, incluindo a SMSL.

         E desde que as campanhas de conscientização sobre a recomendação de colocar os bebês para dormirem de barriga para cima começaram em 1994 nos EUA, a taxa de SMSL no território norte-americano caiu 50%.

          Listando todas as recomendações existentes até o momento para a prevenção da SUID, baseadas em cuidadosas análises das evidências da literatura científica por especialistas, temos:

1. Os bebês devem ser colocados para dormir deitados de barriga para cima até 1 ano de vida. Segundo estudos, dormir nessa posição reduz em até 70% o risco de morte súbita. A posição lateral não é segura nem recomendada, muito menos a posição de barriga para baixo. Não é recomendada a elevação da cabeceira da cama. Quando o bebê adquire a capacidade de se virar na cama, ele deve ser deixado na posição naturalmente adotada.


2. Deve ser usado um colchão firme e bem adaptado ao berço ou alcofa, coberto por um lençol ajustado. Superfícies macias devem ser evitadas.

3. O bebê deve dormir na mesma divisão dos pais, mas no seu próprio berço ou alcofa, sendo que só deve ser colocado na cama dos pais para a alimentação ou para conforto. O bebê não deve dormir na cama adulta, em um sofá, ou em uma cadeira sozinho, com os pais ou com qualquer outra pessoa.

4. Não devem ser colocados objetos na cama do bebê nem devem ser usadas almofadas, fraldas, gorros, babetes, protetores de berço ou outras peças que lhe possam tapar a cabeça e causar estrangulamento ou asfixia.

5. As mulheres grávidas devem receber cuidados pré-natais regulares e devem evitar a exposição ao fumo do tabaco, ao álcool e às drogas ilícitas durante a gravidez e após o nascimento.

6. A amamentação está associada a um menor risco de SMSL. O efeito protetor do leite materno aumenta se for em exclusividade. De qualquer forma, a amamentação materna, mesmo que associada ao leite adaptado, é por si só protetora.

7. A chupeta deve ser oferecida, pois reduz o risco do SMSL, apesar do mecanismo protetor ser desconhecido. Caso o bebê a rejeite não se deve forçar o seu uso. O efeito protetor da chupeta persiste mesmo se esta cair da sua boca, não sendo necessário recolocá-la se ela cair durante o sono. Não deve ser dada a chupeta enquanto o recém-nascido ainda não estiver bem adaptado à mama da mãe. As chupetas não devem estar ligadas à roupa por fios ou bonecos passíveis de estrangulação ou asfixia.

8. Deve ser evitado o sobreaquecimento do quarto do bebê, apesar de não haver uma temperatura ideal definida. Os bebês devem ter no máximo mais uma camada de roupa do que um adulto.

9. O plano nacional de vacinação e as consultas de saúde infantil devem ser cumpridos, sendo que as imunizações podem ter um efeito protetor contra a SMSL.

10. Devem ser evitados dispositivos comerciais e monitores de vigilância dos sinais vitais para evitar o risco de SMSL.

11. Durante o dia e sob supervisão deve-se posicionar os bebês deitados de barriga para cima de forma a evitar o aparecimento de plagiocefalia e facilitar o desenvolvimento muscular.


12. Evite produtos que afirmam reduzir o risco de SLMS e outras mortes relacionadas com o sono do bebê, porque não são testados em termos de segurança ou efetividade.

          MITO: Muitos acham que colocar o bebê deitado com a barriga para cima aumenta os riscos dele se engasgar durante o sono. NÃO. Bebês saudáveis naturalmente engolem ou tossem fluídos, sendo que isso é um reflexo presente em todas as pessoas. Aliás, bebês podem melhor limpar esses fluídos quando estão deitados com a barriga para cima. Como pode ser visto pelas figuras abaixo, quando o bebê está deitado de barriga para cima, a traqueia fica acima do esôfago e qualquer coisa regurgitada ou refluxada do esôfago deve trabalhar contra a gravidade para ser aspirada dentro da traqueia. Em outras palavras, dificulta o engasgo. Já quando os bebês estão deitados de barriga para baixo, qualquer coisa regurgitada ou refluxada irá se acumular na entrada da traqueia, facilitando o engasgo. De fato, dos raros registros de morte devido ao ato de engasgar de bebês, grande parte deles estavam deitados de barriga para baixo.


         LEMBRE-SE: Se o seu bebê rolar por conta própria durante o sono, não é necessário virá-lo de novo para a posição de barriga para cima. Rolar é uma importante e natural parte do crescimento do bebê. Muitos bebês começam a rolar por conta própria ao redor dos 4 a 6 meses de idade. O importante é que o bebê sempre comece a dormir deitado de barriga para cima para reduzir o risco de SLMS e que não exista regiões macias, deformadas ou soltas na área de dormir - a qual também deve estar livre de quaisquer objetos.

- Continua após o anúncio -



     O PERIGO DOS POSICIONADORES PARA DORMIR

         Almofadas utilizadas para manter o bebê na "posição adequada" no momento de dormir trazem sérios riscos. Esse produtos, conhecidos como ´posicionadores para dormir´ são vendidos sob a alegação de que ajudam a evitar que os bebês virem durante o sono ou fiquem em posições perigosas, fazendo com que, supostamente, os riscos de uma morte súbita sejam reduzidos. Essa é uma alegação sem evidências científicas de suporte e o FDA (Agência de Drogas e Alimentos dos EUA), esta semana, reforçou o alerta para os pais não comprarem esses acessórios.


        Repetindo, mais uma vez, os bebês devem ser colocados para dormir deitados de barriga para cima e posicionados em uma superfície firme e vazia. Não deve existir junto objetos macios, brinquedos, travesseiros, partes soltas e muito menos ´posicionadores de sono´.

         Já são 12 mortes de bebês ligadas ao uso desses posicionadores só nos EUA. Segundo a agência de saúde, a maioria dos bebês foi sufocada e morreu ao ficar de barriga para baixo depois de girar para o lado. Além disso, outros bebês se asfixiaram ao ficarem presos entre o travesseiro e um lado do berço, ou foram encontrados em posições perigosas junto às partes dos posicionadores. A AAP considera o acessório um risco para a vida dos bebês.

         Várias empresas ao redor do mundo estão tirando o produto do mercado por causa do alerta do FDA e de diversas outras entidades de saúde, incluindo o eBay, Mothercare, John Lewis, Boots e Tesco. Porém, o acessório está ainda amplamente disponível, levando perigo para várias famílias.
   
         NUNCA use os posicionadores para dormir. NÃO existem evidências científicas que garantam a segurança desses produtos ou a efetividade. Geralmente, quando os pais vão comprar um produto para os bebês e encontram algum alegando dar maior segurança para os seus filhos, eles tendem a acreditar, já que "se está à venda, deve ser realmente confiável". CUIDADO! Muitos produtos nem mesmo possuem aprovação de órgãos reguladores da área de saúde, e apenas visam o lucro em detrimento do consumidor. Apenas aceite recomendações de agências de saúde e de médicos responsáveis quando o assunto for a saúde do seu bebê.

          SEMPRE que for comprar um produto novo para o seu bebê, peça orientação de um médico de confiança. Não confie apenas no marketing.



Artigos Recomendados:

REFERÊNCIAS CIENTÍFICAS
  1. https://www.fda.gov/ForConsumers/ConsumerUpdates/ucm227575.htm 
  2. http://www.bbc.com/news/uk-41516239 
  3. https://www.nichd.nih.gov/publications/pubs/Documents/Safe_Sleep_Baby_English.pdf 
  4. https://onsafety.cpsc.gov/blog/2012/09/18/safe-sleep-bedding-pillows-safety-and-more/ 
  5. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/sus/pdf/setembro/sono_barriga_para_cima_morte_subita_bebe_2809.pdf
  6. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572011000200002
  7. http://www.jped.com.br/conteudo/01-77-01-29/port.pdf
  8. http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0872-07542015000200004
  9. http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-71032011000600015
  10. https://www.nichd.nih.gov/publications/pubs/documents/sids_qa-508-rev.pdf
  11. https://www.nichd.nih.gov/publications/pubs/documents/sids_qa-508-rev.pdf
  12. https://healthfinder.gov/HealthTopics/Category/pregnancy/getting-ready-for-your-baby/keep-your-baby-safe-during-sleep
  13. https://www.cdc.gov/sids/Parents-Caregivers.htm
  14. http://conselho.saude.gov.br/ultimas_noticias/2009/23_jun_barriga.htm