YouTube

Artigos Recentes

Minoxidil para crescer a barba?



           A barba sempre foi um dos grandes símbolos de masculinidade ao longo da história. Bem, e não é para menos, já que é uma das principais diferenciações faciais naturais entre homens e mulheres. Em algumas culturas, a barba é algo bastante cultuado, como entre os muçulmanos e os judeus, já em outras é menos presente, sendo até vista como um incômodo por muitos. De qualquer forma, aqui no Brasil e em países como os EUA, está crescendo cada vez mais a apreciação pelas barbas, especialmente as mais cheias. Assim, recentemente vem estourando o uso de um medicamento chamado ´minoxidil´ para ajudar aqueles desprovidos de uma boa densidade e aspecto capilar satisfatórios na região facial a conquistarem a tão sonhada barba imperial. Porém, será que essa substância realmente é eficiente?

         Já de início, vamos deixar algo bem claro: o minoxidil não possui a finalidade de promover o crescimento de barbas, pelo menos não de forma oficial e regularizada. Portanto, esse medicamento (também conhecido comercialmente pelo nome de Rogaine) não possui dose recomendada, balanço de efeitos colaterais, forma de uso, grau de eficiência, ou qualquer outro tipo de orientação médica oficial em relação à sua administração com o objetivo de crescimento de barbas. Não existe aprovação do seu uso para crescimento de pelos na face pelo FDA (Agência de Drogas e Alimentos norte-americana) ou quaisquer outras agências de saúde. Aliás, a bula do minoxidil deixa claro que ele não é para ser usado em outras partes do corpo (Ref.7 e 8) a não ser no escalpo. Mas, apesar disso tudo, voltamos à pergunta inicial: existe algum real efeito de crescimento capilar facial com o minoxidil? E quais as evidências científicas e clínicas?

O minoxidil pode ser encontrado sob diferentes nomes, sendo Rogaine sua marca comercial mais conhecida

           Como eu esclareci no artigo Mitos sobre a calvície, o minoxidil é usado para o tratamento da calvície comum (alopécia androgenética), mostrando-se uma das poucas estratégias com relativa eficiência para o problema. No artigo eu também mostrei que ainda é pouco conhecido o mecanismo de ação desse composto no retardamento e reversão do processo de calvície e significativo crescimento em uma parcela de cabelo antes praticamente perdidos. MAS, como eu deixei também claro, o minoxidil só funciona para a calvície que ocorre no vértice, sendo inefetivo nos padrões de perda de cabelo na região frontal do escalpo. Além disso, a calvície não pode estar muito avançada. No geral, o medicamento mostra diferentes graus de eficiência em cerca de 60% dos homens e a incidência de efeitos colaterais significativos é infrequente. Nesse último caso, um interessante efeito colateral é notado em algumas pessoas: um maior crescimento de pelos no rosto, especialmente em mulheres (muitas delas já com quadros de hirsutismo - excesso de pelos no corpo). E esse fato, junto à ação do produto na recuperação capilar na calvície, acabou motivando o pessoal a buscar o produto para o crescimento da barba.

- Continua após o anúncio -



          O efeito colateral de crescimento de pelos na face durante o tratamento para a calvície surge por dois motivos: o minoxidil penetra na corrente sanguínea e acaba chegando as folículos capilares do rosto, estimulando seu crescimento, ou o produto acaba escorrendo pelo couro cabeludo durante a sua aplicação em direção ao rosto, ativando o mesmo efeito. Porém, isso não é observado para todas as pessoas. E isso é algo importante de ser deixado claro. Além disso, para o tratamento de calvície, o minoxidil mostra diferentes graus de eficiência para diferentes pessoas, sendo que em muitas ele nem funciona de forma significativa. E não são todos os padrões e intensidade de calvície que serão remediados com o produto. Na verdade, não se sabe nem ao certo como o minoxidil age. Agora, você pegar um produto desses e dizer que ele será tiro e queda para você ter uma formidável barba é fugir muito da realidade.

É só usar minoxidil e qualquer um ficará com uma barba dessas? 

           Para começar, a morfologia e ciclos de desenvolvimento dos pelos na barba e no couro cabeludo são bem diferentes, incluindo a ação dos andrógenos como agente de sensibilização. Existe, por exemplo, algo conhecido como ´paradoxo dos andrógenos´, onde enquanto os folículos capilares no escalpo sofrem uma ação negativa dos andrógenos durante o quadro de calvície, os pelos da face, membros e peitoral já tem o seu crescimento favorecido por esses hormônios, principalmente pelo DHT (Mitos sobre a calvície). Ou seja, você não pode extrapolar os efeitos de um medicamento usado para uma parte do corpo para o tratamento de outra parte do corpo esperando os mesmos resultados sem existir sólidas evidências científicas por trás. E o mesmo deve ser dito para os efeitos colaterais diversos: eles não serão vistos em todos as pessoas. É por isso que o minoxidil é ainda apenas indicado para a calvície e aplicação no escalpo. De qualquer forma, existem dois pequenos e recentes estudos que mostram um real efeito positivo de crescimento na barba e nas sobrancelhas pelo minoxidil, sob a garantia, pelo menos durante o tempo dos estudos, de segurança de uso do produto para essas finalidades.


       ESTUDOS CIENTÍFICOS SUPORTANDO O EFEITO DO MINOXIDIL PARA O CRESCIMENTO DA BARBA E DA SOBRANCELHA

          O primeiro estudo, e único do tipo pelo que parece, visou o crescimento de sobrancelhas, e foi publicado no final de 2013 no The Journal of Dermatology (Ref.3). No estudo, 40 pacientes foram aleatoriamente escolhidos para aplicar, durante 16 semanas, minoxidil 2% em uma das sobrancelhas, enquanto a outra recebeu um placebo. Após o período de uso, houve resultados positivos significativamente maiores em 39 dos pacientes relativos a todos os parâmetros, incluindo crescimento e contagem dos fios, no lado que recebeu o produto. Porém, esse ´significativo´ é bem relativo e, além disso, todos os pacientes tinham uma desordem genética específica: hipotricose - baixa quantidade de pelos/cabelos no corpo, perda dos mesmos e/ou drástico afinamento e possível perda de pigmentação dos fios. Ou seja, além do estudo trabalhar com uma baixa quantidade de voluntários, não visou a população como um todo.

         O segundo estudo, também o primeiro e único do seu tipo, resolveu aferir a eficiência do minoxidil 3% para o crescimento e aumento dos pelos na barba (Ref.1 e 2). Publicado também no The Journal of Dermatology, em fevereiro deste ano (2016), o estudo utilizou 48 participantes entre as idades de 20 e 60 anos que desejavam ter uma melhora no volume da barba, sendo excluídos aqueles que possuíam desordens capilares ou que estavam utilizando medicamentos para o crescimento capilar nos últimos 6 meses. Parte dos voluntários usaram placebo e parte dos outros usaram o minoxidil 3%, em doses de 0,5 ml, na região do queixo e na linha do maxilar. Dos participantes, 46 completaram o estudo, este o qual durou 16 semanas. Os resultados mostraram que houve uma significativa melhora na contagem dos fios da barba, mas não no diâmetro dos mesmos. Aqui, temos que notar que houve a exclusão de um bom número de pessoas, já que é grande a prevalência de desordens capilares dentro da população (especialmente a calvície) e que o número de participantes foi bem baixo.

           Portanto, para os pelos da barba e sobrancelhas só existem dois pequenos estudos atestando a eficácia do minoxidil no crescimento e contagem dos mesmos, sem nem ao menos a existência de revisões sistemáticas ou meta-análises da literatura científica (porque esta praticamente não existe adereçando o assunto). E o problema é que esses resultados "significativos" vão variar bastante de pessoa para pessoa e mesmo um grande eficácia do ponto de vista científico no tratamento pode não significar necessariamente uma barba cheia. Ora, se um homem que possuía mínimas quantidades de pelo visível no rosto usar o minoxidil e obter uma quantidade 5 vezes maior deles, terá tido um resultado mais do que ´significativo´, mas pode ser que o resultado final ainda fique bem distante do almejado. 5 vezes mais fios visíveis onde antes não existia quase nada, pode ainda resultar em uma barba bem rareada, especialmente se os fios forem muito finos. E devido à genética e concentração/sensibilização diferenciada dos hormônios andrógenos de cada um, e falta de conhecimento científico referente à biologia dos folículos capilares, fica difícil garantir a eficiência do minoxidil para um grande número de pessoas. Por isso é importante a existência de vários estudos de qualidade e com grandes números de participantes para atestar, de fato, a real eficiência desses produtos e o nível de satisfação dos consumidores.

           E já que foi mencionado novamente os andrógenos, fica aqui outro exemplo. Quem usa esteroides anabolizantes para o fim de ganhar maior massa muscular, estará usando grandes quantidades de andrógenos, esses os quais podem tanto aumentar os riscos de iniciar ou acelerar a calvície naqueles indivíduos predispostos, quanto aumentar o crescimento de pelos em várias partes do corpo, seja homem ou mulher. Por isso se diz que o uso de anabolizantes aumenta bastante os riscos de queda de cabelo pela calvície. Porém, como a questão genética entra com peso nessa história, muitos usando anabolizante podem não desenvolver calvície ou não adquirir uma maior quantidade de pelos (ou uma quantidade muito baixa) no corpo. E olha que estamos falando de um gigantesco sensibilizador nos ciclos de desenvolvimento dos folículos capilares, ou seja, os andrógenos. Por isso é preciso ficar atento com os milagres sugeridos pelo uso de minoxidil.

            Bem, e isso tudo porque não foram mencionados os efeitos colaterais do medicamento. O estudo acima, por exemplo, mediu a segurança do minoxidil na concentração 3% da solução, o uso de 0,5 ml por dia e durante um tempo de acompanhamento clínico bastante limitado. Muitas pessoas podem estar encharcando a cara com o produto e utilizando as concentrações maiores, de 5%. O minoxidil é um vasodilatador também, sendo usado como medicamento anti-hipertensivo, e existem vários possíveis efeitos colaterais, como pele seca, anomalias nos padrões cardiovasculares, acne, ganho de peso, irritação na pele, dermatite, entre outros. E é preciso tomar cuidado para o produto não cair nos olhos (lavar as mãos depois de usá-lo). Por último, o uso de minoxidil deve ser feito de forma contínua no caso da calvície, ou os ganhos serão todos perdidos. O mesmo, possivelmente, deve se aplicar ao uso na barba. Em outras palavras, se você começou o tratamento e está gostando dos resultados, é necessário continuar com ele para sempre, algo que pode desmotivar muitos caso efeitos colaterais indesejáveis estejam surgindo.

- Continua após o anúncio -


   
   CONCLUSÃO

        Caso você esteja interessado em otimizar a sua barba, pode até ser válido tentar o uso de minoxidil, mas sob a supervisão de um dermatologista competente. Como não existem estudos científicos de peso por trás desse uso e nem mesmo aprovação das agências reguladoras para tal (sendo que a própria bula determina o uso apenas no escalpo), é preciso ficar bem alerta quanto às propagandas e promessas enganosas de supostos tônicos para a barba. Não existem tônicos baseados em minoxidil oficialmente aprovados para multiplicar, fortalecer, engrossar ou crescer os pelos da barba Nunca saía utilizando medicamentos sem a orientação de um profissional de saúde, especialmente se o uso dos mesmos fugir dos propósitos previstos.

OBS.: Uma técnica que pode ser usada com grande efetividade para tonificar a barba, ou as sobrancelhas, é a cirurgia de transplante de cabelos, onde folículos, por exemplo, do couro cabeludo são tirados e implantados na região facial da barba (Ref.8). Como se trata de um procedimento cirúrgico, é sempre bom procurar profissionais e ambientes hospitalares bem qualificados para realizá-lo.

Artigos Relacionados

REFERÊNCIAS CIENTÍFICAS
  1. http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/1346-8138.13312/abstract
  2. http://www.readcube.com/articles/10.1111/1346-8138.13312
  3. http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/1346-8138.12275/full
  4. http://www.nytimes.com/2012/05/31/fashion/oh-to-be-just-another-bearded-face.html
  5. http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/jeb.12958/full
  6. http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/ics.12328/full
  7. https://dailymed.nlm.nih.gov/dailymed/archives/fdaDrugInfo.cfm?archiveid=63808
  8. https://dailymed.nlm.nih.gov/dailymed/archives/fdaDrugInfo.cfm?archiveid=66258
  9. https://www.omicsgroup.org/journals/facial-hair-restoration-effective-techniques-for-beard-and-eyebrow-restoration-2167-0951-1000140.php?aid=78110