YouTube

Artigos Recentes

A Lua pode disparar grandes terremotos!



           Desde o começo do século XX, os cientistas vem desconfiando da ação das forças gravitacionais da Lua e do Sol como agentes de gatilho para terremotos que ocorrem na crosta do nosso planeta. É uma ideia plausível, já que as forças de estresse provocadas pelo efeito gravitacional lunar e solar variável na crosta são de considerável magnitude. Mas as evidências ainda são escassas e isoladas na literatura científica. Agora, um estudo publicado recentemente na Nature coloca ainda mais fortes evidências nessa relação (Ref.1).

          Por causa das forças desiguais de atração gravitacional na superfície da Terra causadas pela movimentação do Sol e da Lua, uma região terrestre será puxada com mais força para o lado desses corpos do que as outras. Isso é difícil de ser sentido por nós, mas podemos facilmente notar esse fenômeno nos oceanos. Já que a água marinha é um líquido bem fluído, essas resultantes gravitacionais acabam afetando bastante os mares, causando a subida e descida de nível dos mesmos (1). Nos períodos de Lua Cheia e Lua Nova, as diferenças gravitacionais na crosta terrestre são as maiores, onde Terra, Sol e Lua estão alinhados, causando os maiores desníveis (1). Toda essa dinâmica é conhecida como ´Efeito de Maré´.

        Sabe-se, ao longo de várias análises dos registros de terremotos em torno do globo, que pequenos tremores podem ser afetados pelo efeito de maré, o qual leva à movimentação de grandes massas de água nos oceanos, as quais induzem estresse na crosta. Nesse caso, os padrões diários de subida e descida da maré seriam os responsáveis, e estariam por trás de tímidos tremores em certas partes do globo, como na falha de San Andreas, na Califórnia, e na região de Cascadia, na Costa Oeste também na América do Norte. Estudos também suspeitam que o efeito de maré possa guiar um conhecido padrão de atividade dos terremotos em torno do Cinturão de Fogo no Pacífico, o ciclo anual ´9/56´ (Ref.2 e 3). Ou seja, em 3 ou 4 sequências de 9 anos no início de um intervalo de 56 anos, grandes terremotos são presenciados, uma ou mais vezes em anos específicos, e isso está relacionado também com um padrão específico de angulação do Sol e Lua com a Terra. Somando-se a isso, um estudo japonês (Refl.4) de 2009, analisando a região de Tamba Plateau, uma área cheia de terremotos no distrito de Kinki, na parte central do Japão, mostrou que micro-terremotos ocorridos entre 1995 e 1996 seguiam um padrão guiado pelas fases lunares e que, durante as Luas Cheias e Luas Novas, a incidência dos mesmos aumentavam. Antes de 1995, essa relação não foi encontrada, mas isso pode ser explicado pelo grande terremoto de Hyogoken Nanbu, o qual pode ter deixado a região mais sensível ao efeito da maré.

          Nesse novo estudo publicado na Nature, Satoshi Ide, um sismólogo da Universidade de Tóquio, com a ajuda dos seus colegas, mostrou que durante os períodos de Lua Nova e Cheia, os terremotos tendem a ser mais poderosos. Analisando  registros de terremotos ao redor do globo, especialmente a Califórnia e Japão, foi descoberto que para mais de 10 mil terremotos com magnitude ao redor de 5,5, qualquer um deles que comece durante um período de Lua Cheia ou Nova terá maiores chances de evoluir para um de magnitude 8 ou mais, como aqueles que atingiram o Chile em 2010 e no Japão em 2011. Segundo a pesquisa, o que estaria ocorrendo seria que o grande efeito de maré nessas fases lunares, os quais representam as maiores diferenças de forças gravitacionais externas sob a nossa crosta, colocariam ainda mais estresse em áreas prontas para um terremoto, culminando em uma maior liberação de energia das dinâmicas tectônicas.

O trágico terremoto de Tõhoku, em 2011, no Japão, e gigantesco tsunami consequente, poderiam ser previstos com antecedência caso exista um real padrão que siga as fases lunares
         Apesar de colocar ainda mais base científica na hipótese lunar como gatilho/fomentador dos terremotos na Terra, os pesquisadores lembram que o achado ainda não é conclusivo e que mais pesquisa precisa ser feita. Além disso, isso não significa que terremotos podem ser previstos com uma maior facilidade apenas seguindo as fases lunares. O que foi achado é que o efeito de maré pode desencadear grandes terremotos já por vias de ocorrer. Mas, mesmo assim, se modelos matemáticos conseguirem achar padrões de ligação entre o movimento da Lua, Sol e Terra e os grandes terremotos, já será uma tremenda ajuda para a população, já que áreas com grande risco de fortes terremotos poderiam ser evacuadas com maior antecedência.

(1) Artigo complementar: Como são formadas as ondas e marés?

Artigo relacionado: As fases da Lua afetam os cabelos? 

REFERÊNCIAS CIENTÍFICAS
  1. http://www.nature.com/news/moon-s-pull-can-trigger-big-earthquakes-1.20551
  2. http://www.davidmcminn.com/eqpages/calquakes.pdf
  3. https://mpra.ub.uni-muenchen.de/51663/
  4. https://www.jstage.jst.go.jp/article/jgeography1889/111/2/111_2_248/_article/-char/ja/
  5. http://www.earthdoc.org/publication/publicationdetails/?publication=84585
  6. http://www.bssaonline.org/content/54/6A/1865.short
  7. http://www.bssaonline.org/content/26/2/147.extract
  8. http://link.springer.com/article/10.1007/BF00561957
  9. http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/003192019090218M
  10. http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/0012821X67901926
  11. http://srl.geoscienceworld.org/content/75/5/607.full 
  12. https://www2.usgs.gov/faq/categories/9827/3354