YouTube

Artigos Recentes

Lombriga da fertilidade?



          Todos sabem que os vermes parasitas nunca são bem vindos no nosso corpo. Vários vermes platelmintos e nematelmintos utilizam, preferencialmente, o nosso intestino para completarem o seu ciclo reprodutivo e acabam causando danos à nossa saúde, por passarem a se alimentar dos nossos nutrientes. Quanto mais deixamos eles se alastrarem, maiores e/ou em maior quantidade eles tendem a ficar, causando ainda mais perdas nutricionais e até lesões diretas nas paredes intestinais ou outras partes do corpo. É estimado que mais de 2 bilhões de pessoas no planeta estão infectadas com algum verme parasitário. Medidas simples podem prevenir o ataque desses animais, como a existência de um sistema sanitário e a higiene/limpeza/preparação correta dos alimentos. Mas, incrivelmente, parece existir um lado benéfico em relação à infestação de um parasita bem conhecido nosso: a lombriga!

          Lógico, quando eu digo que existe um lado benéfico sobre uma infestação de lombrigas na nossa barriga estou sendo bem relativo. Lombrigas devem ser combatidas, porque podem desnutrir bastante o seu hospedeiro, algo potencialmente perigoso em crianças, grávidas e idosos. Dizendo isso, um estudo recente, publicado na Science, mostrou que o Ascaris lumbricoides, popularmente conhecido como ´lombriga´, estava associado com um aumento expressivo da fertilidade em mulheres! Durante 9 anos, estudou-se 986 mulheres bolivianas que sobrevivem de agricultura familiar, em maioria o povo Tsimane ( nativos da região amazônica), analisando-se as infecções por vermes nematelmintos, em especial a lombriga e  ancilostomos ( espécies de vermes que causam a ancilostomíase, também conhecida por amarelão). 70% das pessoas nos locais estudados estão infectados por algum verme, dando um perfeito material de pesquisa. Além disso, as mulheres englobadas possuíam uma média de 10 filhos ao longo da sua vida, sempre estando dispostas a ter mais um com o seu parceiro ( modo de vida mais ´natural´).

           Bem, observando o número de filhos, intervalos entre uma e a próxima gravidez e época da primeira gravidez, os pesquisadores concluíram que as mulheres infectadas com lombrigas possuíam uma média de 12 filhos e as mulheres infectadas com ancilostomos tinham uma média de 7 filhos! Além disso, o intervalo entre as gravidezes e a idade inicial da primeira gravidez também diminuía bastante com as lombrigas, acontecendo o contrário com os ancilostomos. Ou seja, enquanto os ancilostomos diminuem bastante a fertilidade das mulheres, as lombrigas a aumentam substancialmente. Outros fatores que poderiam explicar essa observação acabaram sendo descartados por não serem plausíveis e a causa acabou ficando por conta dos vermes.

Cerca de 70% do povo Tsimane é infectado com vermes parasitas

          O esperado seria que ambas as infecções diminuíssem a fecundidade entre as mulheres, especialmente por deixarem o corpo da mãe mais debilitado, mas o que se viu foi o contrário com a lombriga. Além disso, os ancilostomos diminuíram mais do que o esperado a fecundidade. Mas o que estaria por trás dessas fascinantes observações? Bem, é sabido que o corpo de uma mulher grávida possui o seu sistema imunológico naturalmente modificado para que o próprio organismo não rejeite o feto, este o qual é um corpo estranho. Os vermes no intestino também induzem a uma substancial mudança no sistema imunológico do corpo, tanto voluntárias ( adaptativas) quanto involuntárias ( nossa defesa), algo que pode explicar as variações nas taxas de fecundidade. Enquanto as mudanças imunológicas deflagradas pelas lombrigas ajudam o corpo a manter a gravidez, dificultando uma rejeição do feto, os ancilostomos podem fazer o contrário ( isso ainda aliado com os danos causados por estes vermes).

          Essa descoberta pode levar à produção de novos medicamentos e tratamentos que objetivem o aumento da fecundidade em mulheres com dificuldade em engravidar. Se as lombrigas causam danos ao corpo e ainda aumentam a fecundidade, significa que o efeito delas em promover uma gravidez é realmente poderoso. Isso até pode ser uma forma esperta desse verme para promover uma maior sobrevivência da sua espécie. Ora, um parasita nunca quer matar suas vítimas, ou ele também morre. Assim, fazendo com que as mulheres engravidem mais facilmente, resultaria em mais seres humanos para serem infectados.

          Bem, de qualquer forma, essa nova pesquisa não deve ser usada de forma irresponsável pelas pessoas. Infectar-se com lombrigas apenas para ter a fecundidade aumentada é, no mínimo, idiota. Além disso, apesar da pesquisa ter um grande peso de confiabilidade e ter sido publicada em uma uma das maiores revistas de publicação científica do mundo (Science), ela é ainda uma única pesquisa e não deve ser tida como uma verdade absoluta.

Publicação do estudo: http://science.sciencemag.org/content/350/6263/970

Artigo relacionado: Qual é a eficácia do coito interrompido?
                                                                       
                                                                        Anúncio