YouTube

Artigos Recentes

Pelo barbeado cresce mais rápido, grosso e vistoso?



           Esse é um mito bem antigo e muito bem enraizado no mundo inteiro. Eu posso apostar que se eu sair na rua e perguntar para 100 pessoas se barbear os pelos do corpo fazem os mesmos crescerem mais grossos, mais depressa e mais escuros a resposta será ´sim´ para todas as 100. Eu já acreditei nisso piamente no passado, e lembro de ficar barbeando os pelos do meu bigode e cavanhaque para eles saírem de reles fios minguados para uma imponente barba grossa durante a adolescência. E nós acreditamos nisso não porque somos tapados, mas porque isso realmente pode ser ´verdade´ se o nosso fator ´observação´ for desligado um pouco.

          Você é um adolescente querendo ganhar uma barba para parecer mais ´hominho´. Então, você ouve que barbear a os pelos do rosto com frequência fazem eles ficarem mais grossos, crescerem mais rápido e ter um aspecto mais escuro. Ingredientes perfeitos para uma barba bacana! Porém, o ato de barbear não possui ação nenhuma em nenhum desses quesitos, independente se você barbeia contra ou a favor do sentido de crescimento do pelo. Esse, na verdade, é um dos maiores mitos da ciência já estabelecidos na história humana. E qual é o segredo de sucesso dessa mentira safada? Vou listar uma por uma das alegações e explicá-las:

1. Pelos mais grossos: Quando você corta um pelo nunca antes barbeado (sei lá, você resolve raspar os pelos da perna, por exemplo), eles parecem que realmente ficam mais grossos. Mas eles já estavam com aquela grossura antes! As pontas de um pelo que foram deixados crescerem naturalmente são mais finas do que a sua base. Quando cortadas as pontas, fica a base mais grossa, oras. Se você esperar crescer de novo, perceberá que os pelos não irão mais engrossar.

2. Pelos crescem mais depressa: No ato de barbear, a única coisa que você estará fazendo é cortar um fio de proteínas sem vida. O que isso interfere com o sistema de produção dos pelos? É o mesmo que dizer que unhas crescem mais rápido se você cortá-las com frequência. Não acontece. Aliás, unha e pelo são formados pela mesma proteína: queratina.

3. Pelos crescem mais escuros e vistosos: Isso fica mais nítido quando seus pelos são pretos. Realmente, depois de cortados, os pelos ficam mais escuros e com umaa cor mais viva. Mas isso não quer dizer que antes eles tinham crescido com uma cor diferente. O que ocorre é que depois de um tempo crescendo eles ficam tempos demais expostos ao ar, luz solar e poluentes gerais, o que degrada aos poucos a estrutura proteica, deixando-os mais pálidos e com um aspecto menos atraente. Seu pelo sempre irá nascer com a mesma cor, não importando quantas vezes você o corte (exceto se você envelhecer e eles irem ficando brancos, óbvio).

           Viram? Dá para nos enganar fácil! Mas existe ainda outro fato que solidificou esse mito com força: desenvolvimento na puberdade. Adolescentes com a esperança de terem um exuberante ´bigode grosso´ ficam todos os dias raspando os finos pelos iniciais que aparecem, de forma metódica e diária. Depois de um tempo, eles começam a notar que os pelos realmente estão engrossando e crescendo mais rápidos. Então...? Você, leitor, provavelmente já deve ter desvendado o mistério nesse ponto, no momento em que eu mencionei a palavra ´puberdade´. Ora, bolas! Na puberdade, os hormônios agem modificando o corpo inteiro. Desde o momento em que ela é iniciada, os pelos no rosto começam a surgir em maior número, ficam mais grosso e tendem a ir crescendo cada vez mais rápidos! Olha que engraçado! O tempo em que o garotão passou barbeando acompanha o tempo de ação dos hormônios! O benfeitor da história é o seu próprio corpo, e não o barbeador. Depois de adultos, fazer a barba já é algo tão natural que os homens nem chegam a questionar mais o porquê dos pelos não crescerem ou engrossarem mais, mesmo alguns fazendo a barba duas vezes por dia durante anos. Assim, o mito meio que fica esquecido inconscientemente na fase adulta, mas permanece vivo para ser passado para a próxima geração de jovens. Se essa crença fosse realmente verdade, aos 50 anos muitos não teriam pelos saindo da cara e, sim, verdadeiras cordas proteicas cavando saída na sua pele de tão grossos os filamentos, com as mesmos crescendo a taxas inacreditáveis (com certeza, você se transformaria no Primo Itch da Família Adams...).

Se não for o efeito da puberdade, você provavelmente não verá nenhuma mudança na estrutura dos seus pelos, não importando quantas vezes você os corte

          Recado para os jovens, então: não fiquem barbeando nervosamente o rosto como se o apocalipse estivesse chegando. Seus pelos irão engrossar, crescerem em maior número e mais depressa em um ritmo natural e controlado pelo seu sistema hormonal. O uso excessivo de lâminas, especialmente se mal utilizadas, pode trazer irritações e danos significativos na pele. Se a sua barba não ficar muito cheia ou não crescer praticamente nada durante a juventude, isso é devido a fatores genéticos. Não adianta querer barbear a cara para mudar as coisas.

OBS.: As mulheres também tendem a ficar com medo de rasparem os pelos dos braços, pernas, axilas, etc., por causa do mesmo mito. Não, garotas, eles seus pelos não ficaram maiores caso você raspe eles com uma lâmina de barbear. A mesma lógica explicada no texto acima serve para vocês também...:)

Não importa se é debaixo do braço, nas pernas, no rosto... nem homens nem mulheres verão seus pelos crescendo mais rápido, mais grossos ou mais escuros por causa exclusiva do ato de barbeá-los

Artigo relacionado: Pelos e unhas continuam crescendo depois da morte?

Artigo Recomendado:  Minoxidil para crescer a barba?


REFERÊNCIAS CIENTÍFICAS
  1. http://www.scientificamerican.com/article/fact-or-fiction-if-you-shave-or-wax-your-hair-will-come-back-thicker/
  2. http://www.mayoclinic.org/healthy-lifestyle/adult-health/expert-answers/hair-removal/faq-20058427
  3. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2151163/
  4. http://www.bmj.com/content/335/7633/1288?eaf
  5. Medical Myths
  6. http://www.fda.gov/ForConsumers/ConsumerUpdates/ucm048995.htm 
                                                                           Anúncio