YouTube

Artigos Recentes

Como ir a um mundo onde ninguém mais foi?

 

          Devido à já provada Teoria da Relatividade, não é possível que objetos com massa de repouso viajem a velocidades iguais ou maiores do que a luz (na verdade, maior do que a luz seria, virtualmente, impossível). Isso é explicado pelo fato de existir um aumento de "massa relativística" à medida que a velocidade aumenta. Ou seja, será preciso cada vez mais energia para impulsionar um corpo de massa/inércia cada vez maior, tornando o ciclo de gastos e ganhos infinitos. O fóton, partícula unitária constituinte da luz, foge dessa regra por não possuir uma massa de repouso como os outros corpos. De qualquer forma, mesmo a própria luz demora muito para viajar entre galáxias (Por que olhar para as estrelas é vislumbrar o passado?) por causa das distâncias astronômicas absurdas. Ou seja, sem poder alcançar velocidades nem mesmo equivalentes à da luz ficaremos ilhados aqui na nossa galáxia para o resto da existência humana, por mais eficiente que se torne o sistema tradicional de propulsão das naves. Porém, o conceito de ´dobra espacial´ pode, hipoteticamente, mudar essa história.

- Continua após o anúncio -



            Para os fãs de Star Trek, deve ser comum ouvir a palavra ´dobra´. Como os realizadores do seriado se preocupavam muito com a ciência envolvida no Universo onde a nave USS Enterprise estava inserida, eles precisavam de algo para explicar como ela atingiria velocidades absurdas (para estarem presentes em diferentes pontos das galáxias em um curto espaço de tempo), mas sem interferir com a Relatividade (principalmente porque com altas velocidades, existe também a dilatação temporal, e o tempo passaria muito lentamente para os tripulantes da nave, afetando seriamente a lógica da história). Com isso, eles buscaram ajuda de físicos teóricos e recorreram a uma teoria já debatida e prevista, matematicamente, desde 1921: o conceito de ´dobra espacial´!



            A dobra espacial seria um tipo de Buraco de Minhoca. Esses ´buracos´ possuem a capacidade de ligarem dois pontos muito distantes dentro do Universo, comprimindo as dimensões do espaço-tempo e diminuindo absurdamente a distâncias entre ambos. Para entender melhor, basta pegar uma folha de papel bem grande e fixar dois pontos nela, bem distantes um do outro. Para uma formiga sair do ponto A e alcançar o ponto B, ela teria que andar bastante até ele. Mas, e se pegássemos a folha e dobrássemos ela de tal modo que os dois pontos ficassem bem próximos um do outro, como mostrado na figura abaixo? Desse modo, bastaria ligar os dois pontos, agora próximos um do outro, com qualquer ponte ( buraco de minhoca) para a formiga chegar rapidamente ao seu destino em B!  Ou seja, as longas distâncias são encurtadas porque a dimensão espaço-tempo ( folha de papel) foi dobrada ( comprimida ao extremo). Portanto, você enfrentaria pouco tempo e pouco espaço, por já estar bem próximo do seu destino, ou seja, você furaria o espaço-tempo. Assim, a USS Enterprise estaria apta a realizar suas mais malucas e distantes viagens com modestas velocidades que não interfeririam nas leis da Relatividade! Viagens que antes levariam milhares de anos, passam a durar apenas algumas horas ou dias! Distâncias que nem mesmo velocidades várias vezes maiores do que a da luz ( uma impossibilidade física) conseguiriam cobrir nesses curtos intervalos temporais!
  


            E não pense que isso é algo que ficou preso apenas na ficção-científica. Hoje, existem pesquisas sérias na NASA para se conseguir criar as dobras com métodos especiais de propulsão (existem muitas hipóteses matemáticas e modelos quânticos sobre como isso seria feito, e como isso é algo bem complexo, não vale a pena estender mais o assunto, principalmente porque eu não sou um profundo conhecedor da área). Caso isso seja alcançado no futuro, poderemos viajar para lugares antes nunca imaginados na nossa galáxia e, quem sabe, do Universo inteiro (teriam limites de alcance os buracos de minhoca?)! Mesmo tudo ainda sendo apenas uma hipótese quântica, existem especulações de que próximo da gravidade extrema dos buracos negros, existam buracos de minhoca interconectando largas distâncias espaciais. A matéria continuamente sendo sugada pelos buracos negros poderia estar sendo ejetadas em outros pontos do Universo, dando origem à novas formações estelares.

- Continua após o anúncio -



           Porém, como é de se esperar, existem riscos que não podem ser previstos dentro desses buracos de minhoca. Será que o corpo humano estaria seguro lá dentro ou seria danificado/esmagado? Isso é impossível de se responder com o nosso conhecimento atual. De qualquer forma, é tão bom imaginar que um dia poderemos estar dizendo.."O espaço, a fronteira final... Estas são as viagens da nave estelar Enterprise, em sua missão de cinco anos para explorar novos mundos, pesquisar novas vidas, novas civilizações, audaciosamente indo aonde nenhum homem jamais esteve."...:D

*No Universo do herói Thor, dos quadrinhos e dos filmes, a Ponte Arco-Íris é um buraco de minhoca ligando o planeta Asgard aos demais outros mundos.
 


** Na foto abaixo, temos um dos modelos de espaçonave projetado por um grupo na NASA que seria capaz de dobrar o espaço-tempo ( ou tentar, pelo menos). Ela funcionaria através da manipulação de partículas virtuais presentes no vácuo quântico, as quais diminuiriam e expandiriam o espaço ao seu redor, criando as dobras. Mas claro, isso são projetos distantes ainda da prática ou da confirmação de uma real veracidade.



Artigo complementar: A velocidade do Flash 


Artigos relacionados:

REFERÊNCIAS CIENTÍFICAS
  1. http://math.ucr.edu/home/baez/physics/ParticleAndNuclear/photon_mass.html 
  2.  http://www.scientificamerican.com/article/follow-up-what-exactly-is/
  3.  http://authors.library.caltech.edu/9262/1/MORprl88.pdf
  4. http://www.nasa.gov/centers/glenn/multimedia/artgallery/art_feature_001_CD1998_76634.html 
  5. http://arxiv.org/abs/gr-qc/0204022
  6. http://helios.gsfc.nasa.gov/qa_sp_sl.html