YouTube

Artigos Recentes

Detectadas Ondas Gravitacionais no Universo

 

           Momento de comemoração da ciência! Dois detectores, um in Louisiana e ou em Hanford, ambos nos EUA, confirmaram a passagem, em setembro do ano passado, de algo previsto por Einstein 100 anos atrás e nunca detectado/confirmado: ondas gravitacionais!

           Publicado hoje na ´Physical Review Letters´, as ondas gravitacionais foram produto da colisão de dois buracos negros em um sistema binário, distantes mais de 1 bilhão de anos-luz da Terra. Ou seja, as ondas gravitacionais detectadas servem para confirmar ainda mais a natureza e existência dos buracos negros (é uma medida direta deles), além de ser um avanço incrível para a ciência como um todo. Nem o Einstein acredita que teríamos tecnologia suficiente para detectarmos tal fenômeno gravitacional!
  
Ondas gravitacionais detectadas foram formadas pela colisão de dois buracos negros

          As ondas gravitacionais são formadas quando estrelas explodem (supernovas), quando buracos negros se chocam (ou são formados), no surgimento de estrelas de nêutrons ou qualquer outro fenômeno envolvendo corpos celestes que passam por mudanças bruscas em seu corpo gravitacional. Assim, desses processos, são liberadas ondas viajando na velocidade da luz que saem distorcendo a gravidade por onde passam, sem sofrerem interferência de quase nada.

- Continua após o anúncio -



           Com a confirmação e desenvolvimento de tecnologia para a detecção dessas ondas gravitacionais, poderá ser possível:

1. Conversar com o cosmo com uma nova ferramenta, ou seja, as observações e confirmações de corpos como os buracos negros serão mais fáceis;

2. Reforçar ainda mais as teorias da relatividade;

3. Entender melhor sobre como funciona e o que é a gravidade;

4. Explicar melhor sobre os processo do Big Bang, além de detectar seu nascimento com mais detalhes;

5. Descobrir novos fenômenos no espaço;

6. Ajudar a obter um dos maiores desafios da física moderna: unir todas quatro forças universais em um único modelo matemático (Nuclear Forte, Nuclear Fraca, Gravitacional e Eletromagnética). Isso era um dos maiores sonhos do Einstein e, até hoje, nem ao menos sabemos como elas funcionam em sua essência;

7. Destrinchar com maior detalhes a natureza de qualquer evento onde as forças gravitacionais são extremas, como os buracos negros (agora mais do que confirmados), supernovas e estrelas de nêutrons, além de localizarmos os mesmos em distâncias cada vez maiores. 

          Pesquisadores do Instituto Max Planck, na Alemanha, também parceiros do projeto de detecção, disseram que essa é uma descoberta tão importante quanto a confirmação das partículas de Higgs e a determinação da estrutura do DNA. O grande Stephen Hawking disse estar maravilhado e confirmou também que as ondas gravitacionais detectadas vieram do colapso entre dois buracos negros (ele é um, se não o maior, especialista na área). Disse também que a descoberta abre novos rumos para a humanidade.

           Com certeza, um prêmio Nobel virá atrelado ao trabalho glorioso e esperemos que as fronteiras entre nós e os mistérios do cosmo se tornem cada vez mais próximas!

Detectores utilizados: LIGO ( Laser Interferometer Gravitational-Wave Observatory/ Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferômetro a Laser)

Publicação do trabalho: http://journals.aps.org/prl/abstract/10.1103/PhysRevLett.116.061102

Artigos relacionados: