YouTube

Artigos Recentes

O Addyi é o novo viagra feminino?

                                        

            Depois de anos em luta para ser aprovado, o Addyi, nome comercial da nova pílula da companhia Sprout Pharmaceuticals, Inc., conseguiu o feito este mês. A FDA ( Food and Drug Administration/Administração de Comida e Drogas dos EUA) permitiu que a nova pílula entrasse no circuito comercial, com data prevista para outubro desse ano. Chamado de ´viagra feminio´ por alguns e ´pílula rosa´ por outros, muitos estão achando que esta é uma nova revolução sexual, onde mulheres podem ficar com maior excitação na hora que elas quiserem. Mas a real história está longe disso.

            Para começar, o novo medicamento possui um fim bem específico. O Addyi,cuja substância ativa é a fibanserina, é uma droga não-hormonal e multifuncional serotonina agonista e antagonista ( MSAA) usada para o tratamento da hipoatividade do desejo sexual em mulheres na pré-menopausa. Esse baixo desejo sexual, em específico, é uma enfermidade e não tem nada relacionado com o ambiente vivído pela mulher ou seu estado emocional temporário. O nome técnico dessa condição é Desordem de Hipoatividade do Desejo Sexual ( HSDD). A flibanserina corrige o desbalanço de dopamina e norepinefirina ( ambos responsáveis pelo excitamento sexual), e, ao mesmo tempo, diminui os níveis de serotonina ( responsável pelo saciedade/inibição sexual). Essas ações visam antagonizar os efeitos causados pela HSDD e, portanto, não trarão efeitos significativos se a mulher não tiver a enfermidade.

Fórmula química da flibanserina, específica para o tratamento da HSDD

       Se ainda não ficou claro, a ´pílula rosa´ é um remédio e não um afrodisíaco. Se você anda estressada e com nenhuma paciência para o sexo, não adianta tomar esta pílula para liberar seu lado ´selvagem´, principalmente se você for jovem. Muitos veículos de comunicação vêm divulgando o medicamento como se fosse a ´pílula do prazer feminino´, e a própria empresa responsável por ela vem incentivando isso ( lógico, uma empresa quer lucro). O Addyi não vai aumentar seu prazer sexual ou criar um. Ele vai ajudar a tratar a HSDD. Aliás, os efeitos colaterais do Addyi são bem pronunciados, incluindo náuseas,  desmaios, sonolência e sedação. Por isso é até recomendado sua ingestão antes de dormir, para evitar acidentes. Se depois de oito semanas não for sentido nenhum efeito positivo do tratamento com a pílula, a ordem é parar para evitar algum possível agravamento desnecessário dos efeitos colaterais. Além disso, é extremamente perigoso consumir o Addyi junto à ingestão de álcool, por pacientes com danos no fígado e indivíduos que usam de moderados a fortes inibidores CYP3A4. É bom estar bem ciente disso, porque quando o produto chegar ao mercado, com as pessoas tendo uma ideia errada sobre ele, os danos poderão ser piores do que o uso abusivo de Viagra. E por falar em Viagra, a comparação do Addyi com ele não faz sentido algum. O Viagra não é um estimulante sexual. Ele apenas facilita a ocorrência de uma ereção por um mecanismo bioquímico/físico de vasodilatação. Se o seu usuário não estiver excitado, ele de nada funcionará.

A pílula rosa, por enquanto, é só uma pílula rosa

        Como eu sempre repito aqui, a mídia sensacionalista é um dos principais influenciadores na nossa sociedade. E, infelizmente, ela costuma sempre cometer graves erros por negligência ou, até mesmo, por motivos propositais. E tenha certeza de uma coisa: o mercado irá vender de acordo com o seu desejo de compra, moral ou imoral.

Fonte de Referência: FDA